Depois de ter sido apanhado, ainda camuflado, a rodar no traçado alemão de Nürburgring, onde o tempo por volta prova cria um ranking que decide qual o melhor desportivo de cada categoria, o Mégane RS Trophy-R surgiu agora já sem camuflagem e a registar imagens do que só pode ser o sucesso na pista alemã. O desportivo francês tenta assim recuperar o recorde do Trophy-R da geração anterior, produzido entre 2014 e 2016, com um motor 2.0 sobrealimentado com 275 cv.

A nova versão desportiva do Trophy-R recorre ao mesmo motor 1.8 Turbo dos restantes Mégane RS, que deverá ultrapassar os 300 cv já disponíveis na versão “normal” do Trophy. A caixa de velocidades deverá ser exclusivamente a EDC de dupla embraiagem, sendo que a principal diferença do RS Trophy para o novo RS Trophy-R é o corte no peso, para tornar o desportivo mais rápido, mas igualmente mais eficaz a curvar e a travar.

Na anterior versão do Trophy-R, a Renault produziu apenas 250 unidades, cerca de 100 kg mais leves. Os bancos traseiros desapareceram, poupando 20 kg, os bancos da frente passam a ser baquets Recaro (menos 22 kg) e as jantes Speedline de 19” (menos 5 kg), enquanto o material isolante (menos 21 kg) também foi retirado e a tradicional bateria de ácido e chumbo substituída por uma mais leve de iões de lítio (menos 16 kg). Tudo indica que também o novo Trophy-R será alvo de uma dieta similar.

O objectivo do novo Mégane RS Trophy-R será começar por bater os 7 minutos 54 segundos e 36 centésimos numa volta, que a geração anterior obteve em 2015, o que não deve ser difícil, uma vez que além de todas as melhorias ao nível do chassi, tem um motor com (pelo menos) mais 25 cv. Mas para reconquistar o recorde terá de ultrapassar os 7.47,19 alcançados pelo Golf GTI Clubsport S e os 7.43,80 obtidos em 2017 pelo Honda Civic Type R, pois só assim passa a ser o novo recordista entre os desportivos com tracção à frente.

https://www.youtube.com/watch?time_continue=1&v=xwEr2dbXrVM