Nos 18 municípios da Área Metropolitana de Lisboa (AML) venderam-se, entre 1 de março e 5 de abril, “mais 195 mil passes” de transportes públicos do que no mesmo período de 2018, informou a entidade intermunicipal.

Segundo uma nota da AML, apesar de os novos passes Navegante municipal e metropolitano terem entrado em vigor em 1 de abril e de as férias escolares terem decorrido em alturas diferentes, de “1 de março a 5 de abril, em 2019, foram vendidos mais 195 mil passes do que em 2018, o que representa um crescimento superior a 30%”. O total de passes vendidos nesse período corresponderá, assim, a cerca de 650 mil.

“Os novos Navegante vendidos nos primeiros cinco dias do mês de abril representaram cerca de 87% de todos os passes comprados na AML, correspondendo assim a uma efetiva simplificação do sistema tarifário, tendo presente que anteriormente os títulos intermodais representavam, em média, 50,7% das vendas de passes”, salientou a mesma nota.

De acordo com o documento, foram vendidos, até 5 de abril, “mais 411.000 passes Navegante, válidos para o mês de abril”, desde que se iniciou a sua venda em 21 de março, no portal Viva, e em 26 de março, nos operadores e rede multibanco.

O Navegante +65, um dos novos passes que substituem os inúmeros títulos de transporte intermodais, próprios e combinados vendidos na AML, “representa cerca de 12,5% dos novos Navegante vendidos”, referiu a entidade intermunicipal. Em 1 de abril, dia em que se iniciou o novo sistema, registou-se o “maior número de vendas, com o carregamento de mais de 93.000 títulos”.

“Relativamente à venda de cartões Lisboa Viva (suporte físico necessário para o carregamento dos passes Navegante), nos primeiros cinco dias de abril foram solicitados mais de 17.000 novos cartões, o que representa um crescimento de 190% relativamente ao período homólogo de 2018”, frisou a mesma nota.

A AML realçou ainda “que 16,3% das vendas dos títulos Navegante foram efetuadas na rede SIBS (Multibanco) e no portal Viva (online)”. “Os dados são muito positivos, apesar de serem ainda muito preliminares”, afirmou à agência Lusa o primeiro secretário metropolitano, Carlos Humberto de Carvalho. O secretário que lidera a comissão executiva da AML salientou que, apesar dos cuidados na análise de números preliminares, “todos os dados vão no sentido de confirmarem as melhores expectativas, com o crescimento de quase 17.000 cartões” dos novos passes.

Os números provisórios divulgados pela AML agregam a informação disponibilizada até agora pelos sistemas de bilhética dos diversos operadores (ainda incompletos) e pela Otlis (entidade gestora do sistema de bilhética).

Os novos passes visam “uma redução significativa do preço” da generalidade dos 550.000 vendidos, em média, mensalmente na AML, passando a abranger mais de 900.000 residentes e de 70% do território que, até ao momento, estavam fora do sistema de passes intermodais.

Os novos Navegante passaram a ter as tipologias municipal, para todos os transportes em cada um dos 18 municípios (por 30 euros), metropolitano, em todos os concelhos da AML (40 euros), o Navegante 12, gratuito para a crianças até aos 12 anos, o Navegante +65, destinado a maiores de 65 anos, reformados e pensionistas (20 euros).

A partir de julho de 2019 serão criados os Navegante municipal e metropolitano “família”, destinado a agregados familiares (60 e 80 euros).

A AML é formada pelos concelhos de Alcochete, Almada, Amadora, Barreiro, Cascais, Lisboa, Loures, Mafra, Moita, Montijo, Odivelas, Oeiras, Palmela, Seixal, Sesimbra, Setúbal, Sintra e Vila Franca de Xira.