Sporting

Grupo de acionistas pede Assembleia Geral Extraordinária da Sporting SAD após divulgação da auditoria

119

Grupo de acionistas da Sporting SAD enviou carta ao presidente da Assembleia Geral da sociedade a pedir uma reunião magna extraordinária para discutir divulgação pública de auditoria dos leões.

Depois da carta enviada por três ex-candidatos a Rogério Alves, acionistas pedem AG Extraordinária após divulgação pública da auditoria

MIGUEL A.LOPES/LUSA

Um grupo de acionistas da Sporting SAD enviou esta quarta-feira uma carta ao presidente da Assembleia Geral da sociedade verde e branca, Bernardo Ayala, a solicitar uma reunião magna extraordinária no seguimento da divulgação pública na última semana (em dois momentos distintos) da auditoria forense feita pela Baker Tilly ao Grupo verde e branco.

“Lemos nas notícias partes selecionadas dos relatórios encomendados à auditora Baker Tilly e encontramos na internet o documento completo, tanto em relação à Sporting SAD, empresa cotada da qual somos co-proprietários por via das nossas ações, como em relação ao acionista de referência Sporting Clube de Portugal”, começa por lamentar a missiva, antes de enumerar os três grandes pontos de discussão que querem ver discutidos em Assembleia Geral Extraordinária da sociedade.

  • “Primeiro ponto. Como, quem e quando? Como foi divulgado para o exterior o relatório, quem o divulgou e quando é que o divulgou? O relatório é um documento da SAD, cujo teor só poderia ser comunicado em primeira mão aos acionistas”;
  • “Segundo ponto. Quem autorizou a Baker Tilly a utilizar os números confidenciais em detalhe na construção do relatório, sabendo que pela simples consulta por parte de milhares de Sócios do Clube seriam tornados informação pública, de acesso a toda a gente, sobretudo a outros agentes de negócio como empresários de jogadores, patrocinadores, fornecedores e clubes rivais, o que põe em risco o sucesso desportivo e económico da nossa sociedade”;
  • “Terceiro ponto. A responsabilidade da divulgação do relatório é sempre da administração da SAD, seja porque passou-o em primeira mão aos órgãos de comunicação social, seja porque, caso não o tenha passado, não acautelou os interesses da sociedade por via da escolha de parceiros éticos e competentes para fazer a auditoria. Caso a administração da Sporting SAD considere que a informação não saiu de dentro da própria Sociedade (o que nos parece improvável dada a forma, o momento e os canais utilizados), exigimos que se coloque, de imediato, um processo de investigação à Baker Tilly, e que se suspenda, também desde já, o pagamento da auditoria, até estar totalmente esclarecida a situação”.

Em paralelo, o grupo onde constam Pedro Geada, Paula Correia, Hugo Santos, João Silva, João Ribeiro, Bruno Mascarenhas, Gonçalo Fernandes, João Neto e Marcelo Alcântara coloca também em causa uma operação feita pela atual administração da SAD liderada por Frederico Varandas, a propósito de um negócio tendo em vista o mercado asiático, além de alguns pedidos de esclarecimento sobre o recente acordo feito pela sociedade verde e branca com o fundo Apollo.

“Aproveitaremos a ocasião para pedir informação e transparência sobre os dois milhões de euros pagos ao Wolverhampton para alegadamente abrir o mercado chinês ao Sporting Clube de Portugal (em que consiste o protocolo e o que já foi feito) e sobre o empréstimo de 65 milhões que a sociedade recebeu (aumentado o seu endividamento), nomeadamente prazo, taxa de juro a pagar, colaterais e se o dinheiro foi ou não utilizado para amortizar divida bancária (40 milhões de euros)”, refere.

Todos queremos saber mais. E escolher bem.

A vida é feita de escolhas. E as escolhas devem ser informadas.

Há uns meses o Observador fez uma escolha: uma parte dos artigos que publicamos deixariam de ser de acesso totalmente livre. Esses artigos Premium, por regra aqueles onde fazemos um maior investimento editorial e que mais diferenciam o nosso projecto, constituem a base do nosso programa de assinaturas.

Este programa Premium não tolheu o nosso crescimento – arrancámos mesmo 2019 com os melhores resultados de sempre.

Este programa tornou-nos mesmo mais exigentes com o jornalismo que fazemos – um jornalismo que informa e explica, um jornalismo que investiga e incomoda, um jornalismo independente e sem medo. E diferente.

Este programa está a permitir que tenhamos uma nova fonte de receitas e não dependamos apenas da publicidade – porque não há futuro para a imprensa livre se isso não acontecer.

O Observador existe para servir os seus leitores e permitir que mais ar fresco circule no espaço público da nossa democracia. Por isso o Observador também é dos seus leitores e necessita deles, tem de contar com eles. Como subscritores do programa de assinaturas Observador Premium.

Se gosta do Observador, esteja com o Observador. É só escolher a modalidade de assinaturas Premium que mais lhe convier.

Partilhe
Comente
Sugira
Proponha uma correção, sugira uma pista: broseiro@observador.pt

Só mais um passo

1
Registo
2
Pagamento
Sucesso

Detalhes da assinatura

Esta assinatura permite o acesso ilimitado a todos os artigos do Observador na Web e nas Apps. Os assinantes podem aceder aos artigos Premium utilizando até 3 dispositivos por utilizador.

Só mais um passo

1
Registo
2
Pagamento
Sucesso

Detalhes da assinatura

Esta assinatura permite o acesso ilimitado a todos os artigos do Observador na Web e nas Apps. Os assinantes podem aceder aos artigos Premium utilizando até 3 dispositivos por utilizador.

Só mais um passo

Confirme a sua conta

Para completar o seu registo, confirme a sua conta clicando no link do email que acabámos de lhe enviar. (Pode fechar esta janela.)