Táxis

Taxistas vão lançar app e “linha própria de vestuário” esta terça-feira

2.096

A ANTRAL vai lançar uma app para concorrer com MyTaxi e Uber e uma "linha de vestuário para motoristas de táxis". Florêncio Almeida não lhe quer chamar "uma farda" e acredita que taxistas vão aderir.

As novidades para a modernização do setor do Táxi da Antral são conhecidas esta terça-feira

JOÃO PORFÍRIO/OBSERVADOR

Os taxistas portugueses vão lançar uma app de mobilidade que vai concorrer diretamente com a MyTaxi e plataformas como a Uber, Bolt ou Kapten. A Izzi Move vai ser lançada pela Associação Nacional de Transporte Rodoviário em Automóveis Ligeiros (ANTRAL) na terça-feira, num evento que vai contar com a presença do Secretário de Estado Adjunto e da Mobilidade José Mendes, avançou o Dinheiro Vivo. Ao Observador, Florêncio Almeida, presidente da ANTRAL, acrescentou que além da nova aplicação a associação também vai divulga “uma linha de vestuário própria facultativa” para os taxistas utilizarem.

Contamos ter uma amostra de uma fábrica de vestuário da nossa linha. Uma empresa de grande envergadura a fazer fardamento. Vai ser facultativa e estar ao critério de cada motorista de táxi”, disse Florêncio Almeida.

Ao todo, foram investidos cerca de 400 mil euros na Izzi Move e Florêncio Almeida afirma que, para já, vai funcionar em 26 concelhos, como “Lisboa, Barreiro, Évora ou Castelo Branco”. Este capital foi investido pela associação e em parceira com “dez rádio táxis” que querem fazer parte deste projeto. Os motoristas de táxi que já trabalhem com a MyTaxi vão poder trabalhar em simultâneo com a Izzy Move, garantiu o responsável da associação.

Para já, a forma como esta aplicação funciona é muito semelhante ao feito pela Uber ou pela MyTaxi. O cliente pode chamar um táxi através da app para os sistemas operativos móveis iOS, o da Apple, e Android, o da Google, e vai poder avaliar a viagem e saber a estimativa de preço antes de iniciar a viagem. Além de poder pagar dentro da aplicação, à semelhança das aplicações concorrentes, é possível pagar também em dinheiro no final da viagem. Mais explicações sobre as funcionalidades foram deixadas para terça-feira, mas Florêncio Almeida afirma que vão ser “espetaculares” e “melhor do que a MyTaxi”.

Quanto à proposta de vestuário para os motoristas de táxis que a ANTRAL vai também apresentar, Florêncio Almeida está “convencido que “muitos motoristas de táxi vão aderir”. Inicialmente foi  pensado que esta peça de vestuário — que o responsável “não quer chamar de farda — seria gratuita, “mas como o que é dado não é valorizado”, vai ter um valor “muito barato”. Florêncio Almeida espera já esta terça-feira ter uma “amostra” para apresentar.

“Acho que compete ao governo ajudar neste projeto de modernização do setor”, diz ainda o responsável desta associação de táxis. Para já, dos 400 mil euros, nenhum é do montante prometido para modernizar o setor, mas no entender deste representante de motoristas de táxis “o governo tem o dever de ajudar”.

A ANTRAL afirma que está a trabalhar há cinco anos na digitalização do setor e há dois anos na construção desta aplicação. A app vai ser uma versão evoluída do serviço Táxi Digital, lançado em 2013.

Todos queremos saber mais. E escolher bem.

A vida é feita de escolhas. E as escolhas devem ser informadas.

Há uns meses o Observador fez uma escolha: uma parte dos artigos que publicamos deixariam de ser de acesso totalmente livre. Esses artigos Premium, por regra aqueles onde fazemos um maior investimento editorial e que mais diferenciam o nosso projecto, constituem a base do nosso programa de assinaturas.

Este programa Premium não tolheu o nosso crescimento – arrancámos mesmo 2019 com os melhores resultados de sempre.

Este programa tornou-nos mesmo mais exigentes com o jornalismo que fazemos – um jornalismo que informa e explica, um jornalismo que investiga e incomoda, um jornalismo independente e sem medo. E diferente.

Este programa está a permitir que tenhamos uma nova fonte de receitas e não dependamos apenas da publicidade – porque não há futuro para a imprensa livre se isso não acontecer.

O Observador existe para servir os seus leitores e permitir que mais ar fresco circule no espaço público da nossa democracia. Por isso o Observador também é dos seus leitores e necessita deles, tem de contar com eles. Como subscritores do programa de assinaturas Observador Premium.

Se gosta do Observador, esteja com o Observador. É só escolher a modalidade de assinaturas Premium que mais lhe convier.

Partilhe
Comente
Sugira
Proponha uma correção, sugira uma pista: mmachado@observador.pt
Inovação

Web Summit e provincianismo

Fernando Pinto Santos

Porque é a investigação académica tão desconsiderada em Portugal? Talvez porque moldes ou toalhas não sejam tão glamorosos como uma app com um nome estrangeiro numa conferência com o nome de Summit.

Bragança

Bragança tem gente culta e fica aqui

Nuno Pires
134

“Bragança fica longe de Lisboa, é certo, mas também Lisboa de Bragança. Porém, estamos mais perto de Madrid, Paris, Salamanca, Barcelona e do resto da Europa”

Só mais um passo

1
Registo
2
Pagamento
Sucesso

Detalhes da assinatura

Esta assinatura permite o acesso ilimitado a todos os artigos do Observador na Web e nas Apps. Os assinantes podem aceder aos artigos Premium utilizando até 3 dispositivos por utilizador.

Só mais um passo

1
Registo
2
Pagamento
Sucesso

Detalhes da assinatura

Esta assinatura permite o acesso ilimitado a todos os artigos do Observador na Web e nas Apps. Os assinantes podem aceder aos artigos Premium utilizando até 3 dispositivos por utilizador.

Só mais um passo

Confirme a sua conta

Para completar o seu registo, confirme a sua conta clicando no link do email que acabámos de lhe enviar. (Pode fechar esta janela.)