Turismo

Turismo. Douro está a ser “invadido” por turistas esta Páscoa

758

O Douro está a ser alvo de uma "invasão positiva" de visitantes nesta época pascoal. Portugueses, Espanhóis e Brasileiros elevam taxa de ocupação para os 80% e deixam o Douro "em alta".

OCTÁVIO PASSOS/LUSA

Autor
  • Agência Lusa

O Douro está a assistir a uma “invasão positiva” de visitantes nesta época da Páscoa, maioritariamente nacionais, espanhóis ou brasileiros, registando uma taxa de ocupação hoteleira a rondar os 80%, segundo o Turismo do Porto e Norte de Portugal.

O presidente da Entidade do Turismo do Porto e Norte de Portugal (TPNP), Luís Pedro Martins, disse à agência Lusa que a taxa de ocupação hoteleira “ronda os 80%” no Douro neste período da Páscoa. Neste território também ocorrem manifestações religiosas tradicionais da Páscoa, mas os principais atrativos são a paisagem, a gastronomia e os vinhos.

Luís Pedro Martins referiu ainda que a maioria dos turistas que visita o Douro é portuguesa, mas a “invasão positiva” traz também muitos espanhóis, franceses e brasileiros.

A Quinta da Pacheca, localizada junto ao rio Douro, no concelho de Lamego, tem como mais recente “cartão-de-visita” as “wine barrels”, suítes dentro de 10 pipas de vinho de grande dimensão e que “têm sido um sucesso”.

Sandra Dias, da Quinta da Pacheca, referiu que a unidade hoteleira está com uma taxa de ocupação de “100%” no fim de semana prolongado de Páscoa.

Para além das pipas, a propriedade possui mais 15 quartos no hotel e está também em obras de ampliação para construir mais 24 quartos.

Sandra Dias considerou que, por esta altura, o “Douro está em alta”. “A taxa de ocupação, o número de visitantes, está em alta, é uma realidade. Juntando o bom tempo estão as condições reunidas para ser uma grande época”, referiu.

A responsável salientou que, no Douro, “cada vez mais se nota que a sazonalidade se está a esbater” e que os turistas procuram o território ao longo de praticamente todo o ano e não apenas na altura do verão e das vindimas.

No centro da cidade de Peso da Régua, o Original Douro Hotel tem também, segundo referiu a responsável Alice Carneiro, lotação esgotada para este fim de semana.

Os principais clientes são os portugueses, seguidos dos brasileiros, alemães, ingleses e ainda alguns provenientes dos Estados Unidos da América (EUA) ou Canadá.

Aberta há quase um ano, esta unidade hoteleira foi implementada num edifício de 1880, onde existiu o primeiro hotel da região e, mais tarde, a Pensão Douro, uma história que foi preservada na recuperação do espaço.

O In Douro Hostel & Wine Bar abre esta sexta feira num dos edifícios da estação ferroviária de Peso da Régua e tem já reservas para o fim de semana.

O projeto juntou os empresários Vítor Martins e Bruno Magalhães e tem como tema o Douro e os comboios, elementos que se encontram na decoração da unidade hoteleira que, nesta primeira fase, abre com nove quartos.

O objetivo é, segundo disse à Lusa Vítor Martins, chegar aos “25 a 30 quartos” numa fase posterior.

O responsável justificou este investimento porque o turismo “é um dos ramos de negócio que está em alta e em desenvolvimento” e porque a Régua é o “coração do Douro”, onde se cruzam muitos visitantes que ali chegam de comboio, barco, carro ou autocaravana.

O presidente da Turismo do Porto e Norte de Portugal, Luís Pedro Martins, garantiu que “a normalidade da atividade turística” na região Norte “está assegurada” com o fim da greve dos camionistas de transporte de matérias perigosas”. E acrescentou ainda que, “apesar da greve, os operadores turísticos da região não tinham ainda transmitido registo de cancelamentos significativos”.

Todos queremos saber mais. E escolher bem.

A vida é feita de escolhas. E as escolhas devem ser informadas.

Há uns meses o Observador fez uma escolha: uma parte dos artigos que publicamos deixariam de ser de acesso totalmente livre. Esses artigos Premium, por regra aqueles onde fazemos um maior investimento editorial e que mais diferenciam o nosso projecto, constituem a base do nosso programa de assinaturas.

Este programa Premium não tolheu o nosso crescimento – arrancámos mesmo 2019 com os melhores resultados de sempre.

Este programa tornou-nos mesmo mais exigentes com o jornalismo que fazemos – um jornalismo que informa e explica, um jornalismo que investiga e incomoda, um jornalismo independente e sem medo. E diferente.

Este programa está a permitir que tenhamos uma nova fonte de receitas e não dependamos apenas da publicidade – porque não há futuro para a imprensa livre se isso não acontecer.

O Observador existe para servir os seus leitores e permitir que mais ar fresco circule no espaço público da nossa democracia. Por isso o Observador também é dos seus leitores e necessita deles, tem de contar com eles. Como subscritores do programa de assinaturas Observador Premium.

Se gosta do Observador, esteja com o Observador. É só escolher a modalidade de assinaturas Premium que mais lhe convier.

Partilhe
Comente
Sugira
Proponha uma correção, sugira uma pista: observador@observador.pt

Só mais um passo

1
Registo
2
Pagamento
Sucesso

Detalhes da assinatura

Esta assinatura permite o acesso ilimitado a todos os artigos do Observador na Web e nas Apps. Os assinantes podem aceder aos artigos Premium utilizando até 3 dispositivos por utilizador.

Só mais um passo

1
Registo
2
Pagamento
Sucesso

Detalhes da assinatura

Esta assinatura permite o acesso ilimitado a todos os artigos do Observador na Web e nas Apps. Os assinantes podem aceder aos artigos Premium utilizando até 3 dispositivos por utilizador.

Só mais um passo

Confirme a sua conta

Para completar o seu registo, confirme a sua conta clicando no link do email que acabámos de lhe enviar. (Pode fechar esta janela.)