A emissão e renovação dos vistos gold (regime de Autorização de Residência para a atividade de Investimento) já permitiu ao Estado português arrecadar mais de 167 milhões de euros em taxas desde 2012. Em média, são 24 milhões de euros por ano, que resultam da emissão de mais de 19 mil vistos gold emitidos e de mais de 17 mil renovações, de acordo com os números divulgados esta segunda-feira pelo Jornal de Notícias.

Estes valores, apurados pelo Serviço de Estrangeiros e Fronteiras (SEF) e pelo Fundo para as Relações Internacionais do Ministério dos Negócios Estrangeiros, mostram que houve manutenção destes títulos a 68% dos beneficiários, sendo que dos 19.704 vistos gold aprovados até março deste ano, 17.242 tiveram atos de renovação (os títulos são renováveis passado um ano da sua atribuição e depois a cada dois anos).

No total, são 4,4 mil milhões de euros de investimento para ter acesso a vistos gold, sobretudo no setor imobiliário. A emissão de cada visto custa 5.324,6 euros, a que acresce uma taxa de 532,7 euros (correspondente à análise do pedido). A renovação do título fica por 2.662,3 euros, acrescidos da mesma taxa.