Tem acesso livre a todos os artigos do Observador por ser nosso assinante.

São ágeis, (relativamente) baratas e, uma vez dobradas, podem ser facilmente transportadas para casa, faculdade ou escritório. Mas as trotinetas eléctricas, ou e-scooters, continuam a fazer muitos potenciais utilizadores torcer o nariz, pelo que se questiona até que ponto serão eficazes e funcionais. Para esclarecer esta dúvida, a Seat forneceu uma das suas trotinetas a bateria a Jairo Borox, um chef pasteleiro especializado em chocolate que, diariamente, se desloca de casa para a fábrica e desta para a pastelaria, para depois regressar a casa ao fim do dia.

A trotineta eléctrica da Seat, a eXS KickScooter, é produzida para a marca espanhola pela Segway, um dos mais reputados fabricantes de veículos urbanos de duas rodas. A bateria de 187 Wh alimenta um motor de 300W, o que lhe permite atingir um máximo de 25 km/h e digerir subidas com uma inclinação de até 10º com um condutor de até 100 kg. Pesa apenas 12,5 kg e, como é dobrável, torna-se fácil transportá-la até casa ou nos transportes públicos.

Jairo Borox começa por afirmar que dorme mais uma hora graças à eXS KickScooter, comparado com o tempo de que necessitava para ir de casa à fábrica de autocarro. Acorda diariamente às 5h30 e 45 minutos depois está a caminho da estação, onde apanha o comboio, para depois realizar de trotineta os últimos 3 km a caminho da fábrica. Às 11h da manha é altura de ir para a pastelaria, que fica a 17 km de distância. Regressa à estação, onde apanha o comboio para Barcelona, que o deixa a apenas 400 metros do local onde vende ao público as suas doçarias.

Depois de quatro meses a conviver com a eXS KickScooter, que a Seat comercializa em Portugal por 599€, Borox concluiu que, por mês, percorre cerca de 400 km, poupa 60€ em transportes e tem mais 30 horas de sono.

PUB • CONTINUE A LER A SEGUIR