O Toyota número 08 venceu este domingo as 24 Horas de Le Mans, em França, e permitiu ao espanhol Fernando Alonso, ao suíço Sébastien Buémi e ao japonês Kazuki Nakajima sagrarem-se campeões umndiais de resistência.

Filipe Albuquerque (Ligier-Gibson) foi o melhor português, terminando na nona posição da geral, quarto da classe LMP2, juntamente com os britânicos Phil Hanson e Paul di Resta.

António Félix da Costa (BMW M8) foi o 31.º da geral, 11.º da GTE Pro, e Pedro Lamy (Aston Martin) desistiu com o motor partido.

Kazuki Nakajima, que teve a seu cargo o último turno de condução, chegou à liderança à entrada da 24.ª e última hora de corrida, beneficiando de um alegado furo no outro Toyota, conduzido pelo argentino José Maria Lopez, que liderava destacado.

A equipa enviou uma mensagem a sinalizar furo pelo ecrã e o piloto argentino, antigo campeão mundial de turismo (WTCC), dirigiu-se às boxes em ritmo lento, permitindo a ultrapassagem.

Nakajima cortou a meta com 16,972 segundos de vantagem sobre López.

Os russos Vitaly Petrov e Mikhail Aleshin e o belga Stoffel Vandoorne (SMP Racing-BR Engineering) fecharam o pódio, a seis voltas dos Toyota.

Os vencedores completaram 5.246 quilómetros em 285 voltas, ficando aquém do recorde da prova, de 5.410,713 quilómetros, em 397 voltas, conseguido pela Audi em 2010.