Rádio Observador

Basquetebol

Oliveirense vence Benfica na Luz e sagra-se bicampeã nacional pela primeira vez

988

A Oliveirense só precisava de ganhar novamente na Luz e foi isso que fez (72-97), sagrando-se bicampeã nacional de basquetebol pela primeira vez. O Benfica volta a deixar escapar o título nacional.

Travante Williams esteve em destaque no jogo que deu à Oliveirense o bicampeonato nacional

Filipe Amorim

Na antecâmara do jogo 4 da série de apuramento do campeão nacional de basquetebol, existia a certeza de que no final da partida, qualquer que fosse o resultado, aconteceria um feito digno de nota. À cabeça, a possibilidade de a Oliveirense se sagrar bicampeã nacional em caso de vitória, algo inédito na história da equipa de Oliveira de Azeméis; por outro lado, a hipótese de, em cenário de uma vitória do Benfica, o derradeiro playoff do basquetebol português chegar a um decisivo quinto jogo que não acontece desde 2011/12.

Depois de vencer o jogo inicial em casa, após um arranque demolidor que acabou por anular uma reação dos encarnados ao longo da partida, a Oliveirense ainda permitiu que o Benfica empatasse a série no jogo 2, novamente em Oliveira de Azeméis, relançando assim o playoff para a dupla jornada na Luz. No terceiro encontro, na passada sexta-feira, a Oliveirense repôs a vantagem inicial já no prolongamento depois de ter estado a perder durante grande parte do tempo regulamentar e colocou-se a apenas um triunfo da revalidação do título nacional.

Esta série de apuramento do campeão da temporada 2018/19 tem-se revelado algo oscilante, com as duas equipas a arrancarem melhor à vez, cavando vantagens consideráveis que nem sempre se materializaram na vitória final. Depois de na passada sexta-feira ter sido o Benfica a entrar melhor na partida, desta vez foi a Oliveirense a começar com tudo o jogo no Pavilhão Fidelidade, chegando ao final do segundo minuto a vencer por 0-9 graças a um inspirado Travante Williams. Carlos Lisboa pediu um desconto de tempo para corrigir os erros do Benfica e as palavras do treinador encarnado terão surtido efeito na equipa, já que a partida subiu de ritmo a partir desse momento e os da Luz encurtaram mesmo a desvantagem para quatro pontos já na reta final do primeiro período, altura em que um triplo de Miguel Maria foi crucial. No final do 1.º quarto, a Oliveirense estava a vencer por 23-28 depois de Eric Coleman ter encestado no último instante.

O segundo período começou com uma lesão de Coleman, que nunca recuperou totalmente do choque sofrido durante um ataque do Benfica e esteve sempre algo alheado do jogo. Para compensar, Williams continuava praticamente imparável e Norberto Alves pediu um desconto de tempo na altura certa, logo após um triplo de José Silva que reduziu a clivagem para quatro pontos, corrigindo a equipa de Oliveira de Azeméis e abrindo caminho para uma fase praticamente demolidora dos atuais campeões nacionais: a menos de dois minutos do final do segundo período e depois de mais dois triplos e um lance livre de Williams, a Oliveirense ganhava por 34-47. Uma pausa forçada devido a um problema informático na mesa de arbitragem facilitou a reorganização encarnada, que motivou uma reação liderada por Jacques Conceição e Micah Downs que embateu na enorme de exibição de Travante Williams, que chegou aos 21 pontos e colocou o marcador a apontar 41-53 ao intervalo.

O Benfica entrou melhor no terceiro período, com Miguel Maria a abrir o marcador para acertar um triplo logo de seguida, Micah Downs a ajudar com dois duplos e Cláudio Fonseca com um afundanço: os encarnados alcançaram um parcial de 10-0 e ficaram a apenas dois pontos da Oliveirense, que na ida para o intervalo parecia ter o jogo e o título na mão. Depois do período de desnorteio da equipa do distrito de Aveiro, o Benfica não conseguiu parar uma natural subida de rendimento dos comandados por Norberto Alves e a Oliveirense ia mesmo para os últimos dez minutos do jogo 4 a ganhar por 59-71, resultado avolumado por um triplo de Thomas Thaey no último instante.

No último período, Ellisor juntou-se a Williams e Thaey para segurar a vantagem da Oliveirense e até engordar o resultado, numa fase da partida em que o Benfica já mostrava pouco discernimento. No final do derradeiro quarto, a equipa de Oliveira de Azeméis venceu os encarnados por 72-97 e sagrou-se bicampeã nacional de basquetebol pela primeira vez na história. Já o Benfica voltou a deixar escapar o título nacional depois de ter conquistado o Campeonato cinco vezes no período de seis anos entre 2012 e 2017.

Não queremos ser todos iguais, pois não?

Maio de 2014, nasceu o Observador. Junho de 2019, nasceu a Rádio Observador.

Há cinco anos poucos acreditavam que era possível criar um novo jornal de qualidade em Portugal, ainda por cima só online. Foi possível. Agora chegou a vez da rádio, de novo construída em moldes que rompem com as rotinas e os hábitos estabelecidos.

Nestes anos o caminho do Observador foi feito sem compromissos. Nunca sacrificámos a procura do máximo rigor no nosso jornalismo, tal como nunca abdicámos de uma feroz independência, sem concessões. Ao mesmo tempo não fomos na onda – o Observador quis ser diferente dos outros de órgãos de informação, porque não queremos ser todos iguais, nem pensar todos da mesma maneira, pois não?

Fizemos este caminho passo a passo, contando com os nossos leitores, que todos os meses são mais. E, desde há pouco mais de um ano, com os leitores que são também nossos assinantes. Cada novo passo que damos depende deles, pelo que não temos outra forma de o dizer – se é leitor do Observador, se gosta do Observador, se sente falta do Observador, se acha que o Observador é necessário para que mais ar fresco circule no espaço público da nossa democracia, então dê o pequeno passo de fazer uma assinatura.

Não custa nada – ou custa muito pouco. É só escolher a modalidade de assinaturas Premium que mais lhe convier.

Partilhe
Comente
Sugira
Proponha uma correção, sugira uma pista: mfernandes@observador.pt

Só mais um passo

1
Registo
2
Pagamento
Sucesso

Detalhes da assinatura

Esta assinatura permite o acesso ilimitado a todos os artigos do Observador na Web e nas Apps. Os assinantes podem aceder aos artigos Premium utilizando até 3 dispositivos por utilizador.

Só mais um passo

1
Registo
2
Pagamento
Sucesso

Detalhes da assinatura

Esta assinatura permite o acesso ilimitado a todos os artigos do Observador na Web e nas Apps. Os assinantes podem aceder aos artigos Premium utilizando até 3 dispositivos por utilizador.

Só mais um passo

Confirme a sua conta

Para completar o seu registo, confirme a sua conta clicando no link do email que acabámos de lhe enviar. (Pode fechar esta janela.)