Rádio Observador

Africa Eco Race

Elisabete Jacinto procura financiamento para defender título no África Eco Race2020

Elisabete Jacinto continua "a procurar afincadamente" meios financeiros que lhe permitam defender o título conquistado na última edição. Cinco portugueses já estão confirmados na prova.

Se vier a assegurar financiamento, será a 11.ª participação consecutiva na prova da piloto portuguesa

MARIO CRUZ/LUSA

Autor
  • Agência Lusa

A piloto Elisabete Jacinto ainda não assegurou a participação na edição 2020 do rali África Eco Race, prova que ganhou em janeiro ao volante de um camião, continuando à procura de patrocinadores. Em Anadia, na apresentação da 12.ª edição prova, que arranca no Mónaco em 5 de janeiro de 2020, passando por Marrocos, Mauritânia e terminando em 19 de janeiro no Senegal, a piloto disse à agência Lusa que continua “a procurar afincadamente” os meios financeiros que lhe permitam defender o título conquistado na última edição.

“Até agora ainda não tenho a participação garantida”, confirmou Jacinto, adiantando que está à procura de financiamento privado para as despesas avultadas deste tipo de competição, que podem atingir centenas de milhares de euros.

Elisabete Jacinto encara até a possibilidade de trocar o camião por outro veículo, de forma a baixar as despesas. “Pode ser um auto, um buggy ou outro veículo”, refere José Marques, o habitual navegador de Jacinto neste tipo de competições, que é também o representante em Portugal da organização internacional da prova.

Se vier a assegurar financiamento, será a 11.ª participação consecutiva na prova da piloto portuguesa, que no ano passado ganhou a competição na categoria de camiões, à frente de uma equipa que contava também com José Marques e Marco Cochinho, que devem repetir a participação.

A presença portuguesa no rali África Eco Race2020 contará este ano com o motard João Rolo, os pilotos SSV Sérgio Castro e João Pós de Mina. Em automóveis está também confirmada a presença da equipa de Fernando Barreiros e Nuno Barreiros.

Os participantes no África Eco Race2020 irão cumprir um percurso de mais de seis mil quilómetros, por trilhos que coincidem em grande medida com os do antigo Dakar africano, em especial na Mauritânia, com chegada prevista em 12 de janeiro ao Lago Rosa em Dacar, capital do Senegal.

“Pouquíssimo alcatrão e muita areia, com etapas diárias de 500 a 700 quilómetros”, resume o piloto de motas João Rolo, que integra a equipa inglesa Desert Rose Racing, fundada em 2007 por Patsy Quick, motociclista veterana do Paris-Dakar.

O piloto português de 55 anos, muito experiente neste tipo de competições, tem este ano a ambição de disputar a vitória na categoria de veteranos: “Como sempre, o primeiro objetivo é chegar ao fim, mas vamos ver se é possível fazer um bocadinho mais.”

A prova foi apresentada nesta quarta-feira em Anadia, terra natal de João Rolo, que começou a disputar e a vencer provas de todo o terreno na região da Bairrada em 1985.

Nas instalações do Museu do Vinho Bairrada foram expostas algumas das motos que participaram em anteriores edições da prova, bem como material de navegação e ferramentas de apoio.

Não queremos ser todos iguais, pois não?

Maio de 2014, nasceu o Observador. Junho de 2019, nasceu a Rádio Observador.

Há cinco anos poucos acreditavam que era possível criar um novo jornal de qualidade em Portugal, ainda por cima só online. Foi possível. Agora chegou a vez da rádio, de novo construída em moldes que rompem com as rotinas e os hábitos estabelecidos.

Nestes anos o caminho do Observador foi feito sem compromissos. Nunca sacrificámos a procura do máximo rigor no nosso jornalismo, tal como nunca abdicámos de uma feroz independência, sem concessões. Ao mesmo tempo não fomos na onda – o Observador quis ser diferente dos outros órgãos de informação, porque não queremos ser todos iguais, nem pensar todos da mesma maneira, pois não?

Fizemos este caminho passo a passo, contando com os nossos leitores, que todos os meses são mais. E, desde há pouco mais de um ano, com os leitores que são também nossos assinantes. Cada novo passo que damos depende deles, pelo que não temos outra forma de o dizer – se é leitor do Observador, se gosta do Observador, se sente falta do Observador, se acha que o Observador é necessário para que mais ar fresco circule no espaço público da nossa democracia, então dê o pequeno passo de fazer uma assinatura.

Não custa nada – ou custa muito pouco. É só escolher a modalidade de assinaturas Premium que mais lhe convier.

Partilhe
Comente
Sugira
Proponha uma correção, sugira uma pista: observador@observador.pt

Só mais um passo

1
Registo
2
Pagamento
Sucesso

Detalhes da assinatura

Esta assinatura permite o acesso ilimitado a todos os artigos do Observador na Web e nas Apps. Os assinantes podem aceder aos artigos Premium utilizando até 3 dispositivos por utilizador.

Só mais um passo

1
Registo
2
Pagamento
Sucesso

Detalhes da assinatura

Esta assinatura permite o acesso ilimitado a todos os artigos do Observador na Web e nas Apps. Os assinantes podem aceder aos artigos Premium utilizando até 3 dispositivos por utilizador.

Só mais um passo

Confirme a sua conta

Para completar o seu registo, confirme a sua conta clicando no link do email que acabámos de lhe enviar. (Pode fechar esta janela.)