Rádio Observador

Angola

Abel Chivukuvuku lança PRA-JA, novo projeto político em Angola

O Partido do Renascimento Angolano - Juntos por Angola é a segunda força política angolana que Abel Chivukuvuku vai liderar, depois do seu afastamento da CASA-CE.

Ampe Rogério/LUSA

Autor
  • Agência Lusa
Mais sobre

Partido do Renascimento Angolano – Juntos por Angola (PRA-JA) é o novo projeto político do antigo líder da CASA-CE, Abel Chivukuvuku, que submeteu esta sexta-feira o processo de legalização da comissão instaladora ao Tribunal Constitucional.

A nova força política angolana é a segunda que Abel Chivukuvuku vai liderar, depois do seu afastamento, em fevereiro deste ano, da presidência da Convergência Ampla de Salvação de Angola – Coligação Eleitoral (CASA-CE).

A cerimónia de lançamento do PRA-JA serviu para a votação da sigla e bandeira do partido, escolhida entre duas propostas apresentadas.

A escolha recaiu para o Partido do Renascimento Angolano – Juntos por Angola (PRA-JA), com 190 votos, e para a bandeira com as cores azul, branca e laranja, com um livro ao centro, com a expressão “Servir Angola”, circundado por 18 estrelas de cor laranja, com extremidades pretas, representando as 18 províncias do país.

Num discurso repleto de promessas de mudanças, Abel Chivukuvuku, que iniciou a sua carreira política na União Nacional para a Independência Total de Angola (UNITA, principal partido da oposição em Angola), onde exerceu cargos de direção, disse que “tocou o apito”, numa alusão ao lema da força política “Chegou a Hora de Soar o Apito”, por se tratar de “um apelo vibrante a todos os cidadãos, pela mudança qualitativa” das suas vidas.

Nesta assembleia constitutiva, lançamos juntos as bases para a criação do novo projeto político angolano. Saúdo a vossa coragem. Felicito-vos pelo grande nível de convicção demonstrados”, referiu Abel Chivukuvuku.

Abel Chivukuvuku realçou que o PRA-JA surge ao fim de três meses, após a realização de sete conferências regionais e a recolha de 150 propostas de siglas e denominações para o partido.

Entre as prioridades, Abel Chivukuvuku elegeu a participação do PRA-JA nas primeiras eleições autárquicas que Angola vai realizar em 2020 e como segundo desafio as eleições gerais em 2022.

“2019 é o ano do nosso surgimento no firmamento político angolano. Em 2020, vamos participar nas primeiras eleições autárquicas em Angola. Dedicaremos o ano de 2021 para trabalharmos afincadamente para o nosso crescimento e estarmos preparados para as eleições gerais de 2022. Esta é a nossa agenda de curto e médio prazos”, salientou.

O político que, esteve na base do surgimento da CASA-CE, em 2012, tornando-a a segunda maior força política da oposição em Angola, rumou à pé até ao Tribunal Constitucional, num percurso de cerca de três quilómetros, para a entrega do processo de legalização da comissão constitutiva.

À saída, Abel Chivukuvuku manifestou-se “completamente confiante” na legalização do seu partido.

É a primeira vez na minha vida que faço um partido político, nunca o fiz, e pela primeira vez vou fazê-lo e quero ter também confiança nas instituições da República de Angola”, referiu.

Segundo o político, para o processo de legalização, que se consubstancia na recolha de assinaturas de suporte, a meta é “largamente ultrapassar a norma legal, que diz que são 7.500”.

“Nós vamos apresentar entre 30 mil a 50 mil [assinaturas] para garantir que não haja empecilhos. Terminada esta fase esperaremos também pela legalização do PRA-JA, o que nos levará para a terceira e derradeira que será a institucionalização”, avançou.

“Será a partir da legalização que vamos abrir oficialmente as sedes em todo o território nacional, vamos preparar o primeiro congresso ordinário, realizaremos o congresso e a partir dali já teremos os órgãos institucionais”, acrescentou, perspetivando que tudo esteja pronto para a participação nas eleições autárquicas de 2020.

“Assim que o tribunal legalizar a comissão instaladora, que nós esperamos que seja ainda no decurso do mês de agosto, estabelecemos um máximo de 30 dias para fazermos o processo de entrega das assinaturas, mesmo se a lei estabelece 90 dias renováveis”, frisou.

Não queremos ser todos iguais, pois não?

Maio de 2014, nasceu o Observador. Junho de 2019, nasceu a Rádio Observador.

Há cinco anos poucos acreditavam que era possível criar um novo jornal de qualidade em Portugal, ainda por cima só online. Foi possível. Agora chegou a vez da rádio, de novo construída em moldes que rompem com as rotinas e os hábitos estabelecidos.

Nestes anos o caminho do Observador foi feito sem compromissos. Nunca sacrificámos a procura do máximo rigor no nosso jornalismo, tal como nunca abdicámos de uma feroz independência, sem concessões. Ao mesmo tempo não fomos na onda – o Observador quis ser diferente dos outros órgãos de informação, porque não queremos ser todos iguais, nem pensar todos da mesma maneira, pois não?

Fizemos este caminho passo a passo, contando com os nossos leitores, que todos os meses são mais. E, desde há pouco mais de um ano, com os leitores que são também nossos assinantes. Cada novo passo que damos depende deles, pelo que não temos outra forma de o dizer – se é leitor do Observador, se gosta do Observador, se sente falta do Observador, se acha que o Observador é necessário para que mais ar fresco circule no espaço público da nossa democracia, então dê o pequeno passo de fazer uma assinatura.

Não custa nada – ou custa muito pouco. É só escolher a modalidade de assinaturas Premium que mais lhe convier.

Partilhe
Comente
Sugira
Proponha uma correção, sugira uma pista: observador@observador.pt

Só mais um passo

1
Registo
2
Pagamento
Sucesso

Detalhes da assinatura

Esta assinatura permite o acesso ilimitado a todos os artigos do Observador na Web e nas Apps. Os assinantes podem aceder aos artigos Premium utilizando até 3 dispositivos por utilizador.

Só mais um passo

1
Registo
2
Pagamento
Sucesso

Detalhes da assinatura

Esta assinatura permite o acesso ilimitado a todos os artigos do Observador na Web e nas Apps. Os assinantes podem aceder aos artigos Premium utilizando até 3 dispositivos por utilizador.

Só mais um passo

Confirme a sua conta

Para completar o seu registo, confirme a sua conta clicando no link do email que acabámos de lhe enviar. (Pode fechar esta janela.)