A filial suíça do banco HSBC aceitou pagar em Bruxelas uma multa de 294,4 milhões de euros para fechar o inquérito aberto em 2014 por “fraude fiscal grave” e “branqueamento de capitais”, anunciou o Ministério Público em Bruxelas.

“O acordo ainda tem de ser homologado pelas autoridades judiciais belgas e isso será feito em setembro”, precisou o representante do Ministério Público esta terça-feira durante uma conferência de imprensa.

A filial suíça HSBC Private Bank SA (Suíça), detida a 100% pelo grupo HSBC, foi acusada de ter ajudado centenas de clientes a enganar o Estado belga. As acusações foram consequentes: fraude grave e organizada, branqueamento de capitais, conluio criminal e funcionamento ilegal enquanto intermediário financeiro. Os clientes envolvidos eram principalmente negociantes de diamantes.

As alegações “remontam a vários anos e envolvem a solicitação e a gestão de ativos de clientes, principalmente da indústria de diamantes”, tinha explicado a justiça belga.

“O banco suíço também é suspeito de promover conscientemente e encorajar a evasão fiscal, oferecendo aos clientes privilegiados contas no exterior, incluindo o Panamá e as Ilhas Virgens”, adiantou a justiça belga.