Rádio Observador

Ébola

Epidemia de Ébola alastra-se à província do Kivu Sul na República Democrática do Congo

Foram registados dois casos confirmados em Kivu Sul, tendo um dos pacientes morrido. A República Democrática do Congo registou 257 novas infeções pelo vírus do Ébola nas últimas três semanas.

Até 6 de agosto, o número acumulado de casos registados no país era de 2.781

MELANIE ATUREEBE/EPA

A epidemia de Ébola estendeu-se a uma terceira província da República Democrática do Congo (RDCongo), com dois casos confirmados em Kivu Sul, tendo um dos pacientes morrido, anunciaram as autoridades locais e a Organização Mundial de Saúde (OMS).

“Lamento confirmar que duas pessoas que viajaram de Beni para Mwanga no Kivu Sul, #RDC estão infetadas com #Ébola. Isto gerou uma resposta rápida do @MinSanteRDC [Ministério da Saúde da RDCongo], @WHO [OMS] e parceiros para providenciar tratamento, identificar todos os contactos, chamar a atenção da comunidade e iniciar a vacinação”, declarou o diretor-geral da OMS, Tedros Adhanom Ghebreyesus, numa publicação através da rede Twitter.

“Dois casos positivos de Ébola foram confirmados durante a noite de 15 de agosto no Kivu Sul, na região de Mwenga”, disse o governo local à agência France-Presse, precisando que uma vítima com 26 anos morreu e uma das suas crianças foi identificada positivamente, estando viva e a receber cuidados médicos.

A República Democrática do Congo (RDCongo) registou 257 novas infeções pelo vírus do Ébola nas últimas três semanas, elevando para mais de 2.780 o número de casos e para 1.867 as mortes ligadas à doença, de acordo com os mais recentes dados, da semana passada, da OMS.

De acordo com estes números divulgados pela OMS na semana passada, entre 17 de julho e 6de agosto foram registados 257 novos casos em 16 zonas de saúde, com a maioria a serem registados nas zonas de Beni (119) e Mandima (58). De acordo com a OMS, não houve registo de novos casos em Goma, uma cidade de dois milhões de habitantes, próxima da fronteira com o Ruanda, onde a 14 de julho foi registado o primeiro caso confirmado de Ébola.

As autoridades continuam a registar novas infeções entre o pessoal dos serviços de saúde, com 14 casos confirmados naquele período. Os novos casos elevaram para 149 o número de trabalhadores dos serviços de saúde infetados.

Até 6 de agosto, o número acumulado de casos registados no país era de 2.781, incluindo 2.687 confirmados e 94 prováveis, dos quais 1.866 se revelaram fatais, elevando para 67% a taxa de mortalidade da doença.Do total de casos, 56% (1.572) eram mulheres e 28% (791) crianças e jovens com menos de 18 anos.

A epidemia de Ébola, que está localizada nas províncias de Kivu Norte e Ituri (leste e nordeste da RDCongo), mantém, segundo a OMS, a intensidade de transmissão com uma média de 86 novos casos por semana nas últimas seis semanas.

Atualmente não há casos confirmados fora da República Democrática do Congo. Desde que a epidemia do vírus foi declarada no país, já foram vacinadas 181.389 pessoas. A Organização Mundial de Saúde declarou no dia 17 de julho o estado de emergência internacional na RDCongo devido ao Ébola.

Não queremos ser todos iguais, pois não?

Maio de 2014, nasceu o Observador. Junho de 2019, nasceu a Rádio Observador.

Há cinco anos poucos acreditavam que era possível criar um novo jornal de qualidade em Portugal, ainda por cima só online. Foi possível. Agora chegou a vez da rádio, de novo construída em moldes que rompem com as rotinas e os hábitos estabelecidos.

Nestes anos o caminho do Observador foi feito sem compromissos. Nunca sacrificámos a procura do máximo rigor no nosso jornalismo, tal como nunca abdicámos de uma feroz independência, sem concessões. Ao mesmo tempo não fomos na onda – o Observador quis ser diferente dos outros órgãos de informação, porque não queremos ser todos iguais, nem pensar todos da mesma maneira, pois não?

Fizemos este caminho passo a passo, contando com os nossos leitores, que todos os meses são mais. E, desde há pouco mais de um ano, com os leitores que são também nossos assinantes. Cada novo passo que damos depende deles, pelo que não temos outra forma de o dizer – se é leitor do Observador, se gosta do Observador, se sente falta do Observador, se acha que o Observador é necessário para que mais ar fresco circule no espaço público da nossa democracia, então dê o pequeno passo de fazer uma assinatura.

Não custa nada – ou custa muito pouco. É só escolher a modalidade de assinaturas Premium que mais lhe convier.

Partilhe
Comente
Sugira
Proponha uma correção, sugira uma pista: observador@observador.pt

Só mais um passo

1
Registo
2
Pagamento
Sucesso

Detalhes da assinatura

Esta assinatura permite o acesso ilimitado a todos os artigos do Observador na Web e nas Apps. Os assinantes podem aceder aos artigos Premium utilizando até 3 dispositivos por utilizador.

Só mais um passo

1
Registo
2
Pagamento
Sucesso

Detalhes da assinatura

Esta assinatura permite o acesso ilimitado a todos os artigos do Observador na Web e nas Apps. Os assinantes podem aceder aos artigos Premium utilizando até 3 dispositivos por utilizador.

Só mais um passo

Confirme a sua conta

Para completar o seu registo, confirme a sua conta clicando no link do email que acabámos de lhe enviar. (Pode fechar esta janela.)