Rádio Observador

Brasil

Fenómeno meteorológico surpreende brasileiros: às 3h da tarde já era noite em São Paulo

3.283

O dia parecia noite: frente fria encontrou-se com massa de ar que continha partículas de incêndios florestais na região amazónica. "São 15h" era o assunto mais comentado do Twitter. Veja fotos aqui.

O Inmet diz que São Paulo está “dentro de uma nuvem”, por causa do choque de temperatura entre as duas massas de ar

Na cidade de São Paulo, o dia parecia noite, durante a tarde desta segunda-feira. Eram 15h00 e o céu estava coberto de nuvens negras, deixando a região no escuro. O fenómeno, dizem os meteorologistas brasileiros, é resultado do encontro de uma frente fria com o fumo provocado pelos incêndios florestais na Amazónia.

O Centro de Gerenciamento de Emergências Climáticas (CGE) disse ao portal de notícias G1 que o tempo húmido e uma massa de ar polar diminuíram relativamente a temperatura desde as primeiras horas do dia.

O Instituto Nacional de Meteorologia (Inmet) explicou que o fenómeno resulta da junção da frente fria com o fumo das queimadas na Floresta Amazónica, dando origem à cor escura das nuvens que pairaram sobre a cidade.

O Inmet diz que São Paulo está “dentro de uma nuvem” por causa do choque de temperatura entre as duas massas de ar. “Isso acontece por conta dessa convergência de massas tão diferentes. A frente fria da capital, junto com as temperaturas amenas que vêm do oceano e do vento quente do interior, provocam essa turbulência e isso baixou o nível da nuvem. Assim, nós estamos dentro de uma nuvem”, disse Helena Balbino, meteorologista do Inmet ao portal brasileiro.

A agência meteorológica Climatempo revelou que os incêndios estão a acontecer nos estados do Acre e Rondônia, no noroeste do país, mas também no país vizinho, a Bolívia. O vento forte levou as partículas até a cidade, a mais de 2.200 quilómetros de distância da região mais próxima (Rondônia).

O vento dirigir-se-ia para o sul do Brasil durante o fim de semana, mas, com a chegada da frente fria em São Paulo, a massa de ar foi redirecionada para o estado de São Paulo, a sudeste, segundo o Climatempo.

No Instituto Nacional de Pesquisas Espaciais (Inpe), também responsável pela monitorização do clima no país, a meteorologista Caroline Vidal disse que o incêndio “teria que ser bem intenso” para tornar as nuvens tão escuras, concluindo que “isso ocorre mais com fumo de vulcões”.

Não tardou para que “São 15h” se tornasse o assunto mais comentado do Twitter brasileiro, com diversas reações e fotos de paulistas a expressarem surpresa com o fenómeno. Uma hora depois, “São 16h” tomou o primeiro lugar como assunto mais comentado do Twitter.

Partilhe
Comente
Sugira
Proponha uma correção, sugira uma pista: observador@observador.pt

Só mais um passo

1
Registo
2
Pagamento
Sucesso

Detalhes da assinatura

Esta assinatura permite o acesso ilimitado a todos os artigos do Observador na Web e nas Apps. Os assinantes podem aceder aos artigos Premium utilizando até 3 dispositivos por utilizador.

Só mais um passo

1
Registo
2
Pagamento
Sucesso

Detalhes da assinatura

Esta assinatura permite o acesso ilimitado a todos os artigos do Observador na Web e nas Apps. Os assinantes podem aceder aos artigos Premium utilizando até 3 dispositivos por utilizador.

Só mais um passo

Confirme a sua conta

Para completar o seu registo, confirme a sua conta clicando no link do email que acabámos de lhe enviar. (Pode fechar esta janela.)