O líder do Partido Unido dos Reformados e Pensionistas (PURP) acusou este domingo, em Lisboa, o primeiro-ministro, António Costa, de mentir às pessoas, apodando-o de “manhoso” na devolução de rendimentos nas pensões dos reformados.

“Vem esse mentiroso e manhoso do Costa dizer que devolveu rendimentos às pessoas, é mentira. Ele devolveu 33 cêntimos aos reformados por dia, não passa de mais de 10 euros por mês. Por favor, não mintam, sejam sérios”, afirmou Fernando Loureiro.

O fundador do PURP falava durante uma ação de campanha na Feira do Relógio, em Lisboa.

“Ainda ontem, ou anteontem, estivemos no mercado [de Alvalade] e as pessoas que nos abordam vinham ter connosco dizendo que têm 300, 200 euros de reforma, não pode ser, não pode continuar”, contou o dirigente, acrescentando que se o PURP chegasse “à Assembleia a primeira coisa que fazia era cuidar dos velhos, dos jovens e das crianças”.

Fundado em 2015, o PURP obteve 14 mil votos nas anteriores eleições legislativas e, em 2019, o intitulado “partido dos reformados” considera que Portugal será “sempre um país de velhos”.

“Oito em cada 10 crianças não têm lares [creches]. Como é que os pais podem trabalhar para que aumentemos a natalidade? É impossível sem meios. As pessoas não têm dinheiro. Vamos ser sempre um país de velhos”, salientou o presidente do PURP.

Na Feira do Relógio, no meio das tendas, Fernando Loureiro, de 72 anos, entregava panfletos às pessoas e considerou ainda “uma vergonha” os orçamentos dos grandes partidos para a campanha.

“É uma vergonha o que se passa com a campanha. Isto é, os partidos estão a gastar dois milhões e tal de euros nisto, quando eles são ouvidos todos os dias nas televisões e nas rádios. É uma injustiça, é uma discriminação… Isto tem de acabar, ponto”, defendeu.