Deputado do PSD apela a Marcelo a que não dê posse a Cabrita até bombeiros receberem pagamentos em atraso

Duarte Marques pede a Marcelo Rebelo de Sousa que não dê posse ao ministro da Administração Interna "enquanto Cabrita não pagar o que deve aos bombeiros". Honorários estarão em atraso há 22 dias.

i

MELISSA VIEIRA/OBSERVADOR

MELISSA VIEIRA/OBSERVADOR

O deputado do PSD Duarte Marques, um dos que costuma tratar de assuntos da Proteção Civil na bancada do PSD, apelou esta segunda-feira ao Presidente da República para que não dê posse ao ministro da Administração Interna, Eduardo Cabrita, enquanto o Estado não pagar aos bombeiros honorários de setembro que estão em atraso.  O PSD, por iniciativa do mesmo deputado, já tinha enviado uma questão ao ministério Administração Interna sobre esta falta de pagamento. Agora interpela o chefe de Estado através do Twitter: “Apelo ao Presidente da República: não dê posse a Eduardo Cabrita enquanto este não pagar o que deve aos bombeiros“.

Num post mais alargado no Facebook, Duarte Marques lembra que “são já vinte e dois os dias de atraso no pagamento dos honorários dos bombeiros que integram o DECIR”. Ora, “estando prevista a posse do novo governo para o final da semana, e tendo em conta que o Ministro da Administração Interna é o mesmo, apelo a sua excelência que não dê posse a Eduardo Cabrita enquanto este não pagar os honorários de setembro aos milhares de bombeiros envolvidos no DECIR e que desde agosto não recebem a devida compensação”.

Para Duarte Marques, “um ministro tem, acima de tudo, de ter de honra” e se “Eduardo Cabrita não consegue assumir os compromissos com os homens e mulheres que heroicamente arriscam a vida por nós, então não reúne condições necessárias à função para a qual foi indicado.” E acrescenta que “só o Presidente da República poderá conseguir que esta vergonha seja resolvida a tempo.”

Nas questões enviadas a 16 de outubro ao Ministério da Administração Interna, os deputados do PSD pediram para saber quando é que a Autoridade Nacional de Emergência e Proteção Civil vai pagar os salários em atraso aos bombeiros que integram o Dispositivo Especial de Combate a Incêndios Rurais (DECIR) de 2019 e também qual o valor em dívida.

Na questão enviada ao executivo, Duarte Marques escreve que “mais uma vez o Governo, e em particular o Ministério da Administração Interna, volta a demonstrar o maior desrespeito pelos bombeiros com este atraso”. E destaca que “através dos bombeiros e integrando o DECIR, milhares de portugueses têm dado o seu contributo para garantir a segurança das pessoas e dos seus bens que são constantemente ameaçados pelos incêndios. Muitos deles não são profissionais e outros têm, durante estes meses, este como seu único rendimento”.

No mesmo texto, os deputados do PSD — o texto é também assinado pelo líder parlamentar, Fernando Negrão, e pelo vice-presidente da bancada, Carlos Peixoto — acrescentam ainda que alguns destes bombeiros “são mesmo casais que desempenham esta função e cujo rendimento do agregado familiar depende, neste período, deste compromisso que assumiram com o Estado mas que este não cumpre e não respeita”.

Além destes atrasos, o PSD diz que não esquece as “restantes dívidas ainda por saldar por parte do Estado para com os bombeiros relativamente aos diferentes reembolsos de despesas feitas durante a época de combate aos fogos, as dívidas do transporte de doentes, do INEM, entre muitas outras”. Além da pergunta, os deputados exigiam uma “solução imediata para este caso que afeta milhares de famílias portuguesas.”

Recomendamos

Populares

Últimas

A página está a demorar muito tempo.