Os Club Makumba, banda que começou como a dupla Tó Trips e João Doce, apresenta-se na sexta-feira pela primeira vez em concerto, em Lisboa, e vai desvendar temas do álbum de estreia, a editar em breve.

Tó Trips (guitarrista, metade dos Dead Combo) e João Doce (percussionista dos Wraygunn) começaram a tocar juntos quando o primeiro foi apresentar ao vivo a Esmoriz, onde vive o segundo, Guitarra Makaka — Danças a um Deus Desconhecido, álbum a solo que editou em 2015. Nessa altura, Tó Trips andava a tocar sozinho, mas “andar na estrada sozinho” é algo de que não gosta muito de fazer, então convidou João Doce, que já conhecia há vários anos, a juntar-se a ele, contou o guitarrista em declarações à Lusa.

Em 2016, gravaram juntos Sumba, um EP editado no âmbito do Record Store Day e andaram “por aí a tocar” em dupla. Entretanto, decidiram gravar um álbum, mas como Tó Trips achava que só os dois já não iam “a muito lado”, desafiaram o saxofonista Gonçalo Prazeres e o contrabaixista Gonçalo Leonardo a tocarem com eles. Como o nome Tó Trips e João Doce já não funcionava, batizaram a banda, que tem “um lado rock, mas também bastante world music, árabe, Norte de África”, de Club Makumba.

O álbum acabou de ser gravado “na semana passada, só falta misturar”. A ideia é que seja editado “em março ou abril”, mas primeiro é preciso “procurar uma editora”. Embora ainda esteja por editar, o álbum será apresentado ao vivo esta quinta-feira, pelas 22h20 na Garagem da EPAL, perto dos Restauradores, no âmbito do festival Super Bock em Stock.

A possibilidade de se apresentarem ao vivo no festival surgiu de um convite do músico Paulo Furtado (The Legenday Tigerman) responsável pela curadoria daquele palco na quinta-feira, primeiro dia do festival. Além dos Club Makumba, Paulo Furtado convidou também a harpista espanhola, radicada no Porto há alguns anos, Angélica Salvi.

Nos últimos anos, o trabalho de Tó Trips tornou-se conhecido do grande público sobretudo através dos Dead Combo (dupla que formou em 2003 com Pedro Gonçalves), que em outubro anunciaram o fim da carreira. Os Club Makumba não são a substituição dos Dead Combo, apenas “mais um projeto que já existia” na música do guitarrista.