Os grupos BMW, Daimler, Volkswagen e Ford associaram-se para criar uma rede europeia de postos de carga rápida para veículos eléctricos, capazes de atingir até 350 kW de potência. Isto para não só satisfazer os seus clientes que adquirissem veículos eléctricos e necessitassem de um local onde recarregar as baterias, mas também para fazer frente à rede concorrente de Superchargers da Tesla.

A Ionity arrancou com atraso, uma vez que das 20 estações previstas para abrir em 2017, nenhuma foi inaugurada nesse ano. Deste então, a aceleração na abertura de postos tem acontecido, mas ainda assim abaixo das expectativas, como prova o facto de apenas agora, no início de 2020, o consórcio ter anunciado a abertura da sua estação de carga número 202, o que perfaz cerca de 1212 pontos de carga. Números que pecam por reduzidos quando comparados com as 500 estações e 4.700 pontos de carga que a Tesla oferece só na Europa, suportada apenas pela marca americana.

120 km em 5 minutos. Tesla estreia Supercharger V3 na Europa

A este ritmo, não será fácil para a Ionity cumprir o prometido, isto é, inaugurar 400 estações até final de 2020, com um total de 2400 postos de carga, numa fase em que todas as marcas do consórcio já possuirão uma gama, maior ou menor consoante o caso, de veículos alimentados por bateria. Ainda assim, como a Ionity visa o lucro, a rede está aberta a todos os construtores, ao contrário dos Superchargers, que não só são em maior número, como são ainda exclusivos para os clientes da marca, reduzindo assim a necessidade de esperar por um posto livre.

No mapa que publicamos, onde estão representadas as 202 estações Ionity já em funcionamento, bem como as 52 previstas e em construção, nenhuma se encontra em Portugal. Nem em construção, nem previstas. O grupo das estações de carga em DC está no centro da Europa, países nórdicos e em Inglaterra, com Espanha a surgir com uma em funcionamento e quatro previstas, já com local assinalado.