Paddy Cosgrave, fundador e presidente da Web Summit, escreveu no Twitter que está “muito entusiasmado com o potencial de uma Web Summit no Brasil a partir de 2022”. O líder da maior conferência de empreendedorismo e tecnologia da Europa escreveu ainda que Artir Pereira, que é o responsável da organização da conferência para Portugal, vai estar no Rio de Janeiro, São Paulo e Florianópolis na próxima semana.

Contactada pelo Observador, fonte oficial da Web Summit explicou que a ideia é explorar aquele país para a organização de outro evento irmão (do de Lisboa), como já acontece com o Collision, em Toronto, ou o Rise, em Hong Kong. A viagem de Artur Pereira ocorrerá, precisamente, para conhecer as condições das cidades brasileiras para a realização de eventos.

A Web Summit tem um acordo com o Governo de Portugal para manter a conferência em Lisboa até 2028, contando com um investimento público de 11 milhões de euros por ano. A cláusula de rescisão do contrato é de 340 milhões por cada ano não cumprido.

A edição de 2019 da Web Summit esgotou com 70.469 participantes, mais do que no anterior. Ao todo, a Web Summit recebeu 2.150 startups e 239 parceiros. O evento decorreu entre 4 e 7 de novembro, na FIL e na Altice Arena, em Lisboa, e entre os oradores estiveram nomes como Brad Smith, responsável jurídico e presidente da Microsoft, Guo Ping, chairman da Huawei, e a comissária europeia Margrethe Vestager.