“1917” foi o grande vencedor dos prémios BAFTA, os mais importantes da indústria cinematográfica britânica, ao conquistar sete estatuetas. Entre os derrotados, o maior foi “O Irlandês”, de Martin Scorsese, que não ganhou em nenhuma das categorias para as quais estava nomeado.

Depois de prémios como os Globos de Ouro ou os que são entregues pelas associações de diretores de fotografia ou realizadores nos EUA, o filme de Sam Mendes, sobre dois soldados com uma missão praticamente impossível de cumprir durante a Primeira Guerra Mundial, ganhou em quase todas as categorias para as quais estava nomeado. Concorria em oito, só perdeu o de Melhor Banda Sonora Original, para “Joker”, e Melhor Caracterização, que foi entregue a “Bombshell”. E foi mesmo escolhido como “Melhor Filme” e “Melhor Filme Britânico”.

[o discurso de Sam Mendes:]

“Joker” ganhou três prémios, incluindo aqueles que parecem não escapar ao filme de Todd Phillips: o de Melhor Ator, inevitavelmente entregue a Joaquin Phoenix, e Melhor Banda Sonora Original, pelo trabalho notável da compositora islandesa Hildur Guðnadóttir. A estes junta-se uma nova categoria nos BAFTA: o de Melhor Casting. Ainda assim, lembremos os números: “Joker” estava nomeado para 11 prémios.

Renée Zellweger voltou a ser premiada como Melhor Atriz, pela sua prestação em “Judy”, o filme biográfico sobre Judy Garland.

[o discurso de Renée Zellweger:]

Brad Pitt foi escolhido como Melhor Ator Secundário, pelo papel que desempenhou em “Era uma vez… em Hollywood”, confirmando mais uma vez o favoritismo que leva na corrida para os Óscares, onde compete contra os mesmos nomeados dos BAFTA: Tom Hanks, Anthony Hopkins, Joe Pesci e Al Pacino.

Da mesma forma, Laura Dern volta a conquistar o troféu de Melhor Atriz Secundária, pela personagem que interpreta em “Marriage Story”. O Óscar na mesma categoria não lhe deverá falhar. Tanto Laura Dern como Brad Pitt já tinham ganho o Globo de Ouro nas mesmas categorias.

[o discurso de Laura Dern:]

[Margot Robbie recebeu o prémio em nome de Brad Pitt:]

“Parasitas”, o filme do sul-coreano Bong Joon-ho, thriller surpreendente com uma narrativa construída a partir das diferenças sociais que marcam a atualidade daquele país, voltou a sair vencedor: desta vez, nos BAFTA, foi distinguido como Melhor Filme Estrangeiro e Melhor Argumento Original.

O prémio de Melhor Documentário foi para “For Sama”, que também está nomeado para os Óscares na mesma categoria. ”For Sama” conta a história de Waad al-Kateab, mulher de Hamza Al-Kateab, um dos raros médicos em Aleppo, durante a guerra civil na Síria, e de como criaram a filha, chamada Sama. O documentário, um retrato de sobrevivência e da experiência feminina da guerra, foi realizador pela própria Waad al-Kateab e por Edward Watts.

[o discurso de Taika Waititi:]

“Klaus”, o filme de animação produzido e distribuído pela Netflix (através da plataforma de streaming da também produtora), foi o Melhor Filme de Animação. E é o filme que conta com dois portugueses na equipa, os gémeos Sérgio e Edgar Martins.

Esta é a lista completa dos vencedores dos BAFTA de 2020:

  • Melhor Filme: “1917”
  • Melhor Atriz: Renée Zellweger, por “Judy”
  • Melhor Ator: Joaquin Phoenix, por “Joker”
  • Melhor Atriz Secundária: Laura Dern, em “Marriage Story”
  • Melhor Ator Secundário: Brad Pitt, por “Era uma vez… em Hollywood”
  • Melhor Realizador: Sam Mendes, por “1917”
  • Melhor Casting: “Joker”
  • Melhor Filme em Língua Estrangeira: “Parasitas”
  • Melhor Documentário: “For Sama”
  • Melhor Filme de Animação: “Klaus”
  • Melhor Argumento Original: Han Jin Won e Bong Joon-ho, por “Parasitas”
  • Melhor Argumento Adaptado: Taika Waititi, por “Jojo Rabbit”
  • Melhor Banda Sonora: “Joker”
  • Melhor Fotografia: “1917”
  • Melhor Edição: “Le Mans ’66”
  • Melhor Direção de Arte: “1917”
  • Melhor Guarda-Roupa: “Mulherzinhas”
  • Melhor Caracterização: “Bombshell”
  • Melhor Edição Sonora: “1917”
  • Melhores Efeitos Especiais: “1917”

Categorias do cinema britânico

  • Melhor Filme Britânico: “1917”
  • Melhor Estreia de um Realizador, Produtor ou Argumentista Britânico: “Bait”, escrito e realizador por Mark Jenkin, produzido Kate Byers e Linn Waite.
  • Melhor Curta Britânica: “Learning to Skateboard in a Warzone (If You’re a Girl)”
  • Melhor Curta de Animação Britânica: “Grandad Was a Romantic”
  • Prémio EE Rising Star (votação público): Michael Ward

[artigo atualizado com uma correção sobre “For Sama”: o filme está nomeado para os Óscares na categoria de Melhor Documentário]