O antigo bispo de Viseu Ilídio Leandro morreu esta sexta-feira, aos 69 anos, vítima de doença, anunciou a Diocese de Viseu.

“Com profundo pesar, a Diocese de Viseu comunica o falecimento do seu bispo emérito, D. Ilídio Pinto Leandro. Partiu para a casa do Pai às 11h30 deste 21 de fevereiro de 2020, no Hospital de São Teotónio (Viseu), onde estava internado após agravamento da sua saúde”, foi referido numa nota publicada no site da diocese.

Ilídio Leandro era natural de Rio de Mel, Pindelo dos Milagres (S. Pedro do Sul), onde nasceu em 14 de dezembro de 1950. “Foi ordenado presbítero em 25 de dezembro de 1973 e bispo no dia 23 de julho de 2006. Orientou a Diocese de Viseu até ao dia 3 de maio de 2018, resignando por razões de saúde. O seu lema episcopal, que se recorda, foi: ‘Convosco, Por Cristo, Para Todos’”, lembrou ainda a nota diocesana.

Ilídio Leandro tinha recebido em 2018 o Viriato de Ouro, a “mais elevada e rara distinção” do município de Viseu.

“O município de Viseu manifesta o seu profundo pesar pelo falecimento de Dom Ilídio Leandro, bispo emérito da Diocese de Viseu, que por muitos anos serviu com espírito de abnegação e amor ao próximo a comunidade viseense. A profunda renovação que empreendeu na Diocese de Viseu e as qualidades pastorais e humanas reveladas na relação com as populações e as mais diversas instituições da cidade e região são marcas indeléveis do seu percurso, que todos reconhecem”, referiu hoje a Câmara de Viseu.

A bandeira do município será colocada a meia haste durante três dias.

Conferência Episcopal reconhece “prestimoso contributo” do bispo emérito

A Conferência Episcopal Portuguesa (CEP) manifestou “o sentido pesar” pela morte do bispo emérito de Viseu, Ilídio Leandro. Num comunicado assinado pelo secretário da CEP, Manuel Barbosa, os votos de pesar são estendidos “particularmente aos seus familiares e aos diocesanos de Viseu que Dom Ilídio serviu com toda a dedicação ao longo do seu ministério sacerdotal e episcopal”.

“Manifesto igualmente um forte reconhecimento pelo seu prestimoso contributo no seio da Conferência Episcopal, nomeadamente nas suas comissões e outros serviços”, continua o documento, que faz ainda referência à “grande serenidade” que Ilídio Leandro “manteve durante a grave doença que o atingiu nos últimos anos da sua vida”.

Artigo atualizado às 16h22 com a nota de pesar da Conferência Episcopal