A Agência Europeia da Guarda de Fronteiras e Costeira (Frontex) elevou o nível de alerta e vai reforçar os meios de segurança na fronteira entre a Grécia e a Turquia, onde se concentram milhares de migrantes, foi este domingo anunciado.

Em comunicado, um porta-voz da agência explica que a Frontex recebeu “um pedido de ajuda suplementar da Grécia” e que está a “reorganizar equipamento técnico e agentes” para o local.

Segundo a agência, existe um pequeno grupo de agentes localizado na região grega de Evros e outros 60 agentes na Bulgária, ambos na fronteira com a Turquia.

O Presidente da Turquia, Recep Tayyip Erdogan, anunciou no sábado ter aberto as fronteiras com a Europa para a passagem de migrantes e refugiados, adiantando que nas próximas horas entre 25.000 e 30.000 pessoas podem tentar chegar à Grécia.

Este domingo, as autoridades gregas revelaram que bloquearam a entrada de quase 10 mil migrantes na região de Evros, que faz fronteira com a Turquia.

No entanto, do lado da Turquia, o ministro do Interior, Suleyman Soylu, afirmou através da rede social Twitter que nas últimas horas 76.358 pessoas saíram do país, desde Edirne, e entraram na Grécia.

No sábado, a Organização Internacional para as Migrações revelou que pelo menos 13 mil pessoas já se encontravam na fronteira greco-turca, após o Presidente da Turquia, Recep Tayyip Erdogan, ter aberto as fronteiras para deixar passar migrantes e refugiados para a Europa.

A Turquia alberga atualmente 3.5 milhões de refugiados sírios e centenas de migrantes e refugiados da Ásia, África e Médio Oriente usam o país como ponto de trânsito para alcançar a Europa através da Grécia.

Os dados mais recentes do Alto Comissariado das Nações Unidas para os Refugiados, a Grécia tem atualmente 115 mil refugiados e com pedidos de asilo.