Depois de o Instagram e o Facebook terem aderido às stories, publicações inspiradas na rede social Snapchat e que apenas podem ser vistas durante 24 horas, o Twitter não quis ficar para trás. A plataforma começou esta quarta-feira a testar uma forma mais efémera de partilhar os pensamentos dos internautas: os fleets. Por agora, a nova função estará apenas disponível durante uma semana no Brasil. E é uma alternativa: ou se publica um tweet (o normal) ou um fleet.

“O Twitter é o lugar em que você conversa sobre assuntos do seu interesse. Mas algumas pessoas dizem que sentem-se inseguras para tweetar porque tweets são públicos, permanentes e exibem contagens públicas de engajamento” (gostos e retweets), escreveu Mo Aladham, gerente de produto do Twitter, num blog da plataforma, acrescentando: “Queremos tornar possível que você tenha conversas na plataforma de novas maneiras, com menos pressão e mais controle, além dos tweets e Mensagens Diretas (DMs)”.

Os fleets funcionam exatamente como as stories do Instagram ou do Facebook: as publicações aparecem numa barra no topo da página, desaparecem 24 horas depois de terem sido partilhadas e não têm retweets, gostos ou comentários públicos.

PUB • CONTINUE A LER A SEGUIR

“Eu sei o que estão a pensar: ‘ISTO É MUITO PARECIDO COM AS STORIES! Sim, há muitas semelhanças com o formato das stories que parecerão familiares. Existem também algumas diferenças intencionais para tornar a experiência mais focada em partilhar e ver os pensamentos das pessoas”, escreveu Kayvon Beykpour, chefe de produto do Twitter, na sua conta.

Tal como os tweets, a nova função é baseada no texto, mas pode conter fotografias, vídeos ou GIFs. Para receber reações, que serão sempre privadas, o utilizador apenas tem de permitir que lhe sejam enviadas mensagens diretas (ou DMs), que poderão ser o início de uma conversa sem os olhares atentos dos restantes seguidores.

Segundo o chefe de produto, o Twitter começou a trabalhar nesta nova funcionalidade há mais de um ano. “Vejo isto como outra dimensão realmente importante para alguns clientes: para um conjunto específico de circunstâncias em que o utilizador deseja conversar com as pessoas, mas não tem a certeza de que deseja que a publicação dure para sempre”, tinha afirmado Kayvon Beykpour em entrevista ao The Verge em outubro de 2019.

O Brasil foi escolhido para experimentar esta nova forma de partilhar “ideias e opiniões momentâneas” por ser um dos países nos quais as pessoas mais falam através da rede social. Através de um iPhone ou Android, os internautas brasileiros terão a nova função à sua disposição, bem como a possibilidade de partilhar o seu feedback, utilizando a hashtag #FleetsFeedback para ajudar os criadores a “aprimorar a funcionalidade”, que posteriormente poderá ser lançada noutros países.

Os fleets poderão ser a oportunidade perfeita para o Twitter conseguir recuperar o terreno perdido para as outras plataformas que têm vindo a desenvolver a funcionalidade que se tem tornado cada vez mais popular entre os internautas. Em causa não está apenas a rapidez com que a publicação desaparece, mas também o facto de esta se tornar mais “descartável, casual e íntima”, escreve o The Verge.