A Comissão Europeia anunciou esta sexta-feira ter ilibado Portugal numa investigação de alegadas ajudas estatais ilegais pela CP – Comboios de Portugal à EMEF, empresa de manutenção ferroviária, após ter concluído “não haver envolvimento das autoridades portuguesas”.

A Comissão Europeia concluiu que certas medidas adotadas relativamente à Empresa de Manutenção de Equipamento Ferroviário [EMEF] não se referem a auxílios estatais no âmbito das regras da UE”, informa o executivo comunitário em comunicado.

Em causa está uma denúncia que chegou a Bruxelas em 2015 referente a alegadas ajudas estatais ilegais dadas pela empresa-mãe, a CP, à EMEF, através de aumentos de capital, empréstimos e garantias.

Por isso, a Comissão Europeia iniciou, em 2016, uma investigação aprofundada, que esta sexta-feira encerra, por as diligências efetuadas “não terem demonstrado envolvimento específico das autoridades portuguesas nas decisões da CP relativamente à EMEF.

PUB • CONTINUE A LER A SEGUIR

Bruxelas concluiu, assim, que “as medidas são imputáveis ao Estado português e, portanto, não constituem auxílios estatais ao abrigo das regras da UE”, adianta a nota de imprensa.

A CP é uma empresa pública de transporte ferroviário detida 100% pelo Estado português.