A 46ª edição do Portugal Fashion vai marcar o arranque das celebrações dos 25 anos do evento e dos 10 anos da plataforma Bloom, dedicada aos jovens designers de moda.

25 Years Celebrating Talent” é a campanha que já está na rua com 13 cartazes cujos protagonistas, como a atriz Joana Ribeiro, a fadista Gisela João, a drag queen Gigi Toe ou o rapper Porte, surgem vestidos com criadores portugueses. As comemorações têm ainda prevista uma exposição itinerante sobre o projeto, na qual vão ser recordados os seus principais momentos, e uma festa em julho marcada por um desfile de uma dupla portuguesa “Para já, o que podemos adiantar é que será um momento Marques’Almeida, que esta edição não estarão no Porto por motivos familiares. O resto será surpresa”, adiantou a organização ao Observador.

 

“Nas comemorações dos 25 anos do Portugal Fashion não deixaremos, naturalmente, de evocar a história do evento e o seu importante contributo para a promoção, valorização e internacionalização da moda nacional. Mas queremos, sobretudo, apontar para o futuro, com um conjunto de iniciativas que relevam as potencialidades da moda portuguesa e mostram a força desta fileira enquanto catalisador de talento, criatividade e inovação em diferentes áreas”, explica a diretora do Portugal Fashion, Mónica Neto.

A Alfândega do Porto volta a ser o palco principal das sugestões para a próxima estação e entre as novidades está a estreia da marca B488 by Luís Borges, lançada no final do ano passado, com as criações de roupa e acessórios do manequim português. Os novos formatos de apresentação das coleções, que fogem ao conceito tradicional de desfile em passerelle, serão reforçados. Exemplo disso é o caso de Susana Bettencourt, na sexta-feira, dia 12, ou Katty Xiomara que, na manhã de sábado, dia 14, vai juntar artes performativas às suas propostas na Casa da Arquitetura, em Matosinhos.

PUB • CONTINUE A LER A SEGUIR

As criações de Miguel Vieira vão encerrar o terceiro e último dia do Portugal Fashion, na Alfândega do Porto

Depois de na edição passada terem pisado a passerelle da ModaLisboa, os sapatos de Luís Onofre regressam ao Portugal Fashion e com eles nomes já consagrados como Hugo Costa, Maria Gambina, Inês Torcato, Diogo Miranda, Miguel Vieira ou Alves/Gonçalves.

Recordar que para evitar a disseminação do Covid-19 durante o evento, a organização decidiu cancelar o desfile do Gilberto Calzorali. “É um designer de enorme potencial e essa tomada de decisão não foi fácil para nós. Este adiamento – a ideia é que ela venha em outubro – foi pensado em total articulação com a Camera della Moda italiana, por forma a minimizar a potencial propagação do Covid-19, num evento que concentra pessoas de vários pontos do mundo, quer na assistência, quer no staff técnico”, esclarece a organização.

O programa começa, como já é habitual, com as coleções da plataforma Bloom na quinta-feira, com nomes como Maria Meira, Rita Sá ou Carolina Sobral, mas este ano regressa o concurso homónimo, na tarde de sábado. “O concurso Bloom serve apenas como uma espécie de renovação da plataforma Bloom, onde a ideia é que os nossos “bloomers” evoluam de forma gradual, até ao ponto em que dão o salto para a plataforma principal”, explica a organização do evento ao Observador, acrescentando que “dos oito finalistas, escolhidos pelo júri, dois sairão vencedores e serão recompensados com um prémio monetário e a possibilidade de estagiarem nas várias marcas da Sonae Fashion, como a Salsa ou a Zippy.”

À semelhança da edição passada, o Brand Up volta a funcionar não só como showroom mas também como urban market, juntando marcas de design, moda e lifestyle para venda e não apenas para exposição ou divulgação. “A entrada é gratuita e sem convite, de forma a abrir o Brand Up à cidade e a cativar públicos menos familiarizados com o mundo da moda”, acrescenta a organização do Portugal Fashion. De regresso estão também as Brand Up Sessions, um conjunto de talks sobre temas atuais do universo da moda, e os desfiles das marcas Meam, Concreto, sapatos e acessórios portugueses.