Thomas Schäfer, ministro das Finanças do Estado alemão de Hesse, foi encontrado morto este sábado. De acordo com o DW, o político de 54 anos foi encontrado nos carris de uma linha de comboios de alta velocidade, na cidade de Hochheim, entre Frankfurt e Mainz.

Em comunicado, o líder do Estado de Hesse, Volker Bouffier, relacionou a morte de Thomas Schäfer com a pandemia de coronavírus que está a assolar o mundo. “A grande preocupação dele era se conseguiria corresponder às enormes expectativas da população, principalmente em termos de ajuda financeira. Para ele, era claro que não existia uma saída. Estava desiludido e por isso teve de nos deixar. E isso chocou-nos, chocou-me. Recebo esta notícia com tristeza e choque”, referiu Volker Bouffier em comunicado.

Segundo o DW, Thomas Schäfer era o expectável sucessor de Bouffier na liderança de Hesse. Nos últimos dias, o ministro das Finanças do Estado alemão surgiu publicamente várias vezes, principalmente para responder às dúvidas sobre o apoio financeiro à população durante a pandemia. Hesse é o Estado da capital financeira da Alemanha, Frankfurt, e a região onde ficam as sedes do Deutsche Bank, do Commerzbank e do Banco Centro Europeu.

A comunicação social alemã indica que ainda não é certo que Thomas Schäfer tenha colocado termo à própria vida. Ainda assim, o DW cita fonte próxima da investigação para avançar que o político terá deixado uma carta. O corpo encontrado na linha de comboio teve de ser identificado pela família de Schäfer.

Schäfer, natural da cidade de Hemer, fazia parte da CDU, o partido de Angela Merkel. O político de 54 anos era politicamente ativo há mais de 20 anos e era o responsável pelas finanças de Hesse há quase uma década. Annegret Kramp-Karrenbauer, a substituta de Merkel na liderança da CDU, disse no Twitter que o partido está “chocado”. “Afetou-nos e deixou-nos tristes e atordoados”, escreveu a alemã.