O presidente da Câmara das Lajes do Pico acusou este sábado a Associação Cultural MiratecArts, a propósito de um comentário seu, de ter entrado “num registo sem precedentes de fobia aos heterossexuais”. O caso remonta a 2018, altura em que Terry Costa, dirigente da Associação Cultural MiratecArts, apresentou queixa do autarca Roberto Silva, na sequência de um comentário que considerou ser “difamador da sua orientação sexual”.

Na quinta-feira, a MiratecArts emitiu uma nota dizendo que o autarca socialista havia sido condenado, sem especificar a associação por quem, a pagar dois mil euros pelo referido comentário Este sábado, em nota à imprensa, Roberto Silva, que na quinta-feira se havia escusado a comentar o tema, disse ser “completamente falso” que tenha sido “condenado ou multado em qualquer processo-crime”.

“O caso, agora divulgado, corresponde a uma deficiente e maldosa informação do dirigente daquela associação, que não soube, nem nunca saberá, distinguir o plano de uma contenda, que ele próprio ‘pessoalizou’, aproveitando uma mensagem de correio eletrónico do presidente da câmara, interna e não dirigida ao público, por meio da qual foi utilizada uma palavra da linguagem do povo, que não devia ‘desorgulhar’ as orientações sexuais do dirigente”, declara o autarca picaroto.

Roberto Silva afirmou ainda ter sido sujeito a um “ataque institucional, pessoal e familiar”, num “registo sem precedentes de heterofobia” da MiratecArts. O socialista reconheceu ter pagado dois mil euros a Terry Costa, mas disse que tal partiu de sua iniciativa, “não se tratando de qualquer multa ou sequer condenação, mas, ao invés”, uma decisão com o intuito de “pôr termo a um processo mediático, logo aproveitado por um punhado” de “políticos abutres”.

Terry Costa, na nota de quinta-feira, declarou ter doado a verba à associação que preside, “com o objetivo de dar mais visibilidade à luta contra a discriminação de pessoas LGBT, uma realidade que centenas de açorianos enfrentam diariamente”. A promotora cultural “desafia artistas açorianos a fazerem uma proposta de projeto artístico na temática do Dia Internacional Contra a Homofobia e Transfobia”, que se celebra em 17 de maio.

Em julho de 2018, a associação MiratecArts apresentou uma proposta àquela câmara açoriana, que passava pela oferta de livros a crianças e jovens das Lajes do Pico durante a edição daquele ano da Semana dos Baleeiros. O autarca Roberto Silva terá respondido internamente ao pedido de apoio, por ’email’, utilizando uma palavra homofóbica, tendo a mensagem chegado às mãos de Terry Costa.

Em agosto, a associação divulgou um comunicado a explicar a situação, o que gerou críticas à conduta do autarca de vários quadrantes, incluindo o próprio PS, pelo qual foi eleito. O autarca acabou por manifestar, em setembro, “pública contrição”, explicando que o “vocábulo da gíria popular” por si usado numa correspondência eletrónica foi escrito “sem qualquer intenção que configurasse qualquer juízo de valor quanto à personalidade” do promotor cultural Terry Costa. “E muito menos sem qualquer intenção que visasse diminuir em nada o seu caráter, o seu comportamento intelectual e social, ou, muito menos, qualquer das suas opções ou orientações sexuais”, acrescentou.

Na altura, Roberto Silva defendeu, ainda que, em vez do termo empregue na mensagem “poderiam, por mera hipótese e em geral, ter sido expressas palavras distintas, como ‘chico-esperto’, ‘vedeta’ ou ‘artista'”, palavras “que definissem comportamentos e atitudes de relacionamento, mas nunca com a intenção de discriminar alguém, muito menos, sob qualquer ponto de vista, com conotação com qualquer orientação sexual”.

Roberto Silva é presidente da Câmara Municipal das Lajes do Pico desde 2009, cumprindo atualmente o terceiro mandato.