Portugal registou esta quinta-feira o menor número de mortes em 24 horas desde 15 de maio. O boletim da Direção-Geral da Saúde (DGS) contabiliza mais oito pessoas vítimas da Covid-19, elevando a 1.455 mortes desde que a epidemia entrou no país. Em 15 de maio tinham sido seis. Desde então que não havia tão poucas mortes.

Há agora 33.592 casos confirmados de infeção pelo novo coronavírus em Portugal, mais 331 do que na quarta-feira. Trezentos e nove casos foram sinalizadas na região de Lisboa e Vale do Tejo, simbolizando uma percentagem de 93,4% do total. É o segundo dia consecutivo em que a região regista mais de 300 novos casos em 24 horas.

Há ainda mais 15 infetados no Norte e cinco no Centro. Não foram detetados novos casos de infeção no Alentejo, Sul, Madeira e Açores nas últimas 24 horas.

Boletim DGS: 93,4% dos novos casos são outra vez em Lisboa e Vale do Tejo

Instituto Ricardo Jorge, onde se faz o processamento de amostras para testar para a Covid-19. Créditos: João Porfírio/Observador

Maior subida no número de internados em quase um mês

Dezassete pessoas foram internadas nos hospitais desde ontem, elevado o número para 445 neste momento. É a maior subida em 24 horas desde 7 de maio.

Há ainda mais dois internados nos cuidados intensivos, subindo o número para 58. É a primeira vez desde sexta-feira que o número de internados nos cuidados intensivos sobe.  Mais 244 pessoas foram dadas como recuperadas nas últimas 24 horas. São agora 20.323 recuperados da Covid-19.

Há, no entanto, uma discrepância de valores no que diz respeito à região norte: é que, apesar de o boletim indicar apenas esses 15 infetados adicionais em relação aos dados de quarta-feira, a leitura por concelho revela que há mais 40 infetados no Porto. 

Os concelhos portugueses que mais subiram em número de novos casos são Lisboa (50), Amadora (41), Loures (33), Odivelas (25), Vila Franca de Xira (20), Almada e Cascais (16) e Oeiras (nove). No caso de Lisboa e Vale do Tejo, que continua a ser o epicentro da epidemia em Portugal, dos 51 concelhos, seis continuam com menos de três casos. Mas entre os 45 concelhos restantes, há 26 que tiveram pelo menos um novo caso desde quarta-feira.

Quanto às mortes registadas desde ontem, cinco ocorreram no Norte do país e três em Lisboa e Vale do Tejo. Nenhuma outra região do país registou casos de mortalidade pela Covid-19 nas últimas 24 horas. Seis dessas oito vítimas tinham mais de 80 anos, uma entre 70 e 79 anos e outra entre 60 e 69 anos. Seis eram homens e duas eram mulheres.

CONJUNTO DE 20 FOTOGRAFIAS: 19-20: Enfermeiras tratam de um paciente com covid-19, na Unidade de Cuidados Intensivos (UCI) para doentes com covid-19 no Hospital do Espírito Santo, em Évora, 23 de abril de 2020. Na região de Portugal Continental com o menor número de casos confirmados de covid-19, os atuais internados com a doença no hospital de Évora “contam-se pelos dedos de uma mão”, mas a unidade hospitalar está preparada para um cenário pior. (ACOMPANHA TEXTO DO DIA 26 DE ABRIL DE 2020). NUNO VEIGA/LUSA

Unidade de Cuidados Intensivos do Hospital do Espírito Santo, em Évora. Créditos: Nuno Veiga/Lusa

Quase metade dos casos tem entre 20 e 40 anos

Quanto à distribuição do número de novos casos pelas faixas etárias, tanto a faixa etária entre os 20 e os 29 anos e entre os 30 e os 39 anos registaram 79 novos doentes. Os idosos com mais de 70 anos foram os menos afetados nas últimas 24 horas: cinco dos novos pacientes tem entre 70 e 79 anos; e quatro mais de 80 anos. Só 2,72% de novos casos têm mais de 70 anos e 47,7% tem entre os 20 e os 40 anos.

Entre as mulheres, que simbolizam 162 do total de casos, a faixa etária mais afetada é entre os 20 e os 29 anos e a menos afetada está acima dos 80. Nos homens, que são os restantes 169 casos, os indivíduos com entre 40 e 49 anos foram os mais afetados nas últimas 24 horas. Não houve novos casos entre os 70 e os 79 anos e verificaram-se apenas dois na faixa etária acima dos 80.

Com 33.592 casos de infeção pelo novo coronavírus e 1.455 mortes em Portugal, a taxa de letalidade é agora de 4,33%. É o segundo dia consecutivo em que desce: era 4,35% na quarta-feira e 4,37% na terça-feira. A maior taxa de letalidade já registada em Portugal foi de 4,37%, mas chegou a ser de 2,18% em finais de março e 4,01% em finais de abril. No final de maio era 4,34%.