O Sporting não vai voltar a prolongar o regime de layoff que vigora no clube desde abril. Os leões anunciaram esta segunda-feira a todos os funcionários que o regime de exceção vai terminar no final do atual período, ou seja, que o dia 15 de junho é o último dia em que a larga maioria dos trabalhadores do clube estará sob esta medida.

Mas nem todos os funcionários voltam à normalidade logo no dia seguinte, dia 16 de junho. O clube está ainda a estudar a melhor forma de enquadrar o regresso dos trabalhadores consoante as necessidades: por exemplo, os funcionários da Loja Verde vão voltar, já sem regime de layoff, mas o regresso dos trabalhadores do Multidesportivo terá de ser estudado tendo em conta os setores que vão abrir, os que não vão abrir e até a maneira como será preparada a próxima época.

De recordar que o Sporting anunciou pela primeira vez que ia colocar os funcionários em regime de layoff a 16 de abril, para fazer face às dificuldades financeiras provocadas pela Covid-19. Nessa altura, dentro de um universo de funcionários com menos funções — ou até sem qualquer função, na medida em que as instalações do clube estava fechadas –, quase 90% entrou em regime de layoff por suspensão de funções ou redução de horário. Os restantes continuaram em teletrabalho, como haviam feito até aí, com o respetivo vencimento que tinham antes da pandemia.

Sporting coloca funcionários do clube em lay-off por 30 dias, com três regimes diferentes aplicados

Um mês depois, a 15 de maio, o Sporting anunciou que iria prolongar o regime excecional por mais um mês. As justificações foram as mesmas que tinham sido apresentadas em abril: a quebra de receitas e o inevitável impacto da pandemia na realidade dos leões, assim como de todos os outros clubes ou demais atividades nacionais. É este prolongamento, que termina a 15 de junho, que ainda está em vigor para cerca de 90% dos funcionários — e que não será novamente estendido.

De recordar que, quando tornou público que ia entrar em regime de layoff, o Sporting também comunicou um corte de 50% nos salários dos administradores da SAD e 40% nos salários dos jogadores da equipa principal de futebol — este último depois de uma negociação com um plantel, que se fez representar pelos capitães. Já em maio, na missiva enviada à CMVM para alargar o layoff por mais um mês, os leões indicaram que o plantel iria já receber 80% do vencimento em junho e julho, enquanto que os administradores da SAD mantinham a redução de 50% também em junho.

Sporting comunica a funcionários que layoff vai manter-se até 15 de junho. Futebol recebe 80% (ou 100%) nos próximos dois meses

Ainda assim, e conforme ficou também acordado com o plantel, estes 80% ficaram garantidos com o regresso da Primeira Liga, a partir de 3 de junho, mas com uma nuance: esse valor de 20% a mais em relação ao que estava em vigor em maio será pago de forma faseada, metade até ao final do ano de 2020 e o restante até ao final da época de 2020/21. Está também salvaguardada de haver o pagamento integral de 100% aos jogadores nos próximos dois meses mas apenas se for conseguido o objetivo de chegar aos dois primeiros lugares do Campeonato, o que faria com que os leões marcassem presença na qualificação para a fase de grupos da Liga dos Campeões em 2020/21.