O Governo Regional dos Açores visita, a partir de segunda-feira, o grupo ocidental, onde irá inaugurar um ponto de carregamento rápido para veículos elétricos, no Corvo, e conhecer investimentos em energias limpas, nas Flores.

A visita estatutária, que tinha sido adiada devido à pandemia de Covid-19, arranca na segunda-feira, no Corvo, onde o presidente do Governo Regional irá inaugurar um ponto da rede pública de carregamento de veículos elétricos e o reservatório de abastecimento de água na zona de Entre-Cancelas.

Vasco Cordeiro aproveita, também, a passagem pela mais pequena ilha dos Açores para visitar as zonas afetadas pelo furacão Lorenzo, que passou pelo arquipélago em outubro de 2019.

A comitiva governamental parte, na terça-feira, para as Flores, onde o chefe do executivo irá presidir à apresentação de novos investimentos em produção de energia limpa na ilha.

PUB • CONTINUE A LER A SEGUIR

Durante os três dias de visita às duas ilhas do grupo ocidental, os membros do governo irão reunir com diversas forças vivas e recebem, ainda, a população de cada uma das ilhas.

No Corvo, este encontro acontece na segunda-feira, a partir das 17:30, na EBS Mouzinho da Silveira, enquanto os florentinos serão recebidos na terça-feira, na EBS das Flores, em Santa Cruz.

Como dita o estatuto político-administrativo da região, o executivo irá reunir com os dois Conselhos de Ilha.

De acordo com os memorandos a que a Lusa teve acesso, os conselheiros corvinos vão levar para a reunião questões como o acesso a fundos comunitários, o abastecimento de mercadorias à ilha, ou a reparação dos estragos causados por intempéries, nomeadamente, os danos na orla costeira provocados pela tempestade Kyllian, em fevereiro de 2019.

É no dia seguinte, terça-feira, que os florentinos terão oportunidade de expressar as suas questões ao executivo regional, com a saúde, os transportes e as acessibilidades no topo da agenda.

A operação da SATA para a ilha a ser uma preocupação para os conselheiros das Flores que denunciam dificuldades na “mobilidade de residentes, nomeadamente a deslocação de doentes”.

O ponto de situação das obras do porto comercial das Lajes das Flores, que ficou totalmente destruído depois da passagem do furacão Lorenzo pela região, em outubro de 2019, é outra das preocupações da população florentina, que denuncia, também, que a fibra ótica ainda não chegou a todas as freguesias da ilha.