Um ataque contra o secretário de Estado da Segurança da Cidade do México provocou a morte de várias pessoas na capital do país, avançou esta sexta-feira a presidente do governo regional, Claudia Sheinbaum, adiantando que o caso está a ser investigado.

“O secretário [da Estado] da Segurança Pública da cidade sofreu um ataque. Está fora de perigo, mas está a ser tratado num hospital”, disse a responsável, numa mensagem esta sexta-feira divulgada na rede social Twitter.

Houve mortes e vários detidos e estão a decorrer investigações“, acrescentou.

A líder do governo da Cidade do México especificou que o atentado aconteceu às 6h38 locais (12h38 em Lisboa), adiantando que, neste momento, “estão a ser recolhidas informações” e que tomará, em conjunto com a Guarda Nacional, “as medidas necessárias para garantir a segurança na cidade”.

Segundo a imprensa local, o ataque, realizado com armas de alto calibre, aconteceu na zona alta do Paseo de la Reforma, uma área próspera da cidade.

O grupo armado atacou o veículo onde estava Omar García Harfuch, que assumiu o cargo em outubro passado, tendo deixado pelo menos dois civis feridos, noticiou a imprensa local, acrescentando que a área está fortemente policiada e isolada.

“Tudo isto está, sem dúvida, ligado ao trabalho realizado para garantir a paz e a tranquilidade na Cidade do México e no país”, afirmou o Presidente do México, Andrés Manuel López Obrador, numa declaração feita na cidade de Morelia, no estado de Michoacán.

O Presidente interrompeu uma conferência de imprensa que estava a realizar esta sexta-feira de manhã para relatar o ataque e confirmou que “o relatório preliminar dá conta de que o secretário de Estado da Segurança Pública foi ferido e que há mortos neste ataque”.

“Damos o nosso apoio total, completo e absoluto à chefe de governo e aos membros da equipa de Segurança Pública da Cidade do México”, disse o chefe do Estado mexicano, remetendo mais informações para mais tarde.

A luta entre grupos criminosos como o União de Tepito, o Força Anti União e o Cartel Tláhuac – que têm alianças com poderosos cartéis no país – está ligada à violência existente na Cidade do México, embora nos últimos meses os números oficiais mostrem uma diminuição da insegurança.

A capital registou 115 assassínios no mês de maio, segundo dados da secretaria do Sistema Nacional de Segurança Pública.