Dark Mode 93,8 kWh poupados com o MEO
i

A opção Dark Mode permite-lhe poupar até 30% de bateria.

Hoje é um bom dia para mudar os seus hábitos. Saiba mais

José Avillez já pode levar-lhe o seu "Bairro" a casa à boleia da Uber Eats

O chef português que tem duas estrelas Michelin no Belcanto juntou-se à plataforma de entrega para transportar a comida da sua Pizzaria Lisboa, Mini Bar e Bairro do Avillez a casa dos seus clientes

i

A comida do chef "estrelado" chega esta segunda-feira, a partir das 19h, à plataforma de entregas ao domicílio.

Zé Diogo Lucena

A comida do chef "estrelado" chega esta segunda-feira, a partir das 19h, à plataforma de entregas ao domicílio.

Zé Diogo Lucena

Não parece querer abrandar a tendência de vários negócios adaptarem a sua oferta ao sistema de entregas ao domicilio, e o mais recente nome de peso a juntar-se a essa vaga é o chef Jose Avillez, conceituado cozinheiro e empresário que junta ao seu duas estrelas Michelin “Belcanto” (que, já agora, reabre esta próxima quarta-feira para servir jantares), em Lisboa, um considerável aglomerado de restaurantes. É precisamente de entre esses — os do Bairro do Avillez (Taberna e Pátio), Mini Bar e Pizzaria Lisboa — que vai poder escolher o que comer sempre que abrir a aplicação da Uber Eats.

Entrando em vigor já esta segunda-feira, a partir das 19h, e ainda só na zona centro de Lisboa, esta novidade vem completar o já variado “portefólio” da plataforma de entregas ao domicílio e dar também oportunidade aos fãs e curiosos do trabalho de José Avillez de conhecer ou matar saudades de vários pratos icónicos como a conhecida azeitona explosiva, o bacalhau à Brás ou a doce Avelã3. “Damos a oportunidade para que numa família, toda a gente possa escolher o que quiser: os miúdos podem comer uma pizza e os pais uma mariscada, por exemplo. Tudo num único pedido”, explicou o chef durante a apresentação deste novo serviço.

Não faltam opções no menu disponibilizado por José Avillez na Uber Eats. fotos: Zé Diogo Lucena

Zé Diogo Lucena

Avillez conta que a decisão de partir para esta nova modalidade de negócio surgiu só agora porque antes disso, “não era rentável ter pessoas aqui só para o take-away” — tiveram sim, durante o período de Estado de Emergência, algumas equipas de voluntários a preparar refeições solidárias para distribuir aos mais desfavorecidos das freguesias de Santa Maria Maior e Misericórdia. Agora que os restaurantes já estão reabertos esta atividade fica a funcionar como um complemento da atividade normal que o restaurante vai tendo por estes dias. “A Uber Eats é uma parceira de negócio, uma alternativa que não substitui a experiência, um acrescento, de certa forma”, conta o cozinheiro.

Adaptar a oferta de um dos mais prestigiados chefs portugueses é trabalho sério porque aquilo que se recebe em casa tem de estar o mais próximo possível daquilo que é servido in loco e por isso mesmo Avillez revelou que para a ementa só escolheram pratos que “viajassem bem” e adaptou muitas receitas para garantir que o resultado final era muito próximo (se não igual) ao que teria no restaurante em si. “O gelado da avelã ao cubo, por exemplo, é banhado com nitrogénio líquido antes para que durante a viagem ele mantenha melhor a sua consistência”, revela. Também alguns ingredientes como peixe ou marisco são embalados uns furos abaixo do limite perfeito de confeção, por exemplo, para que durante a viagem possam acabar de cozinhar no molho, evitando que fiquem com os pontos de cozedura acima do que é suposto. Os preços? Esses andam entre os 12 e os 60 euros, variam consoante o pedido.

José Avillez reabre Belcanto em julho. Com a pandemia, seis restaurantes ficam pelo caminho

Haverá sempre um prato especial Uber Eats que só encontrará na plataforma — o de agora são camarões salteados com molho de kimchi  –, vão ser vendidos, por exemplo, frascos com as famosas azeitonas explosivas (conjuntos de uma dúzia com validade para dez dias), e o chef quer ainda todos os meses, pelo menos uma vez, ser ele próprio a ir entregar a casa um pedido escolhido aleatoriamente. Na ementa pode encontrar sugestões como as pizzas Mouraria (tomate, mozzarella, fiambre e cogumelos) ou a Pessoa (tomate mozzarella, cebola, azeitona galega e oregãos) da Pizzaria Lisboa; o “cornetto ” de atum picante do Mini Bar em modo terminar em casa, uma moqueca de peixe e camarão com arroz branco ou as plumas de Porco Alentejano com batata frita e salada de tomate e coentros do Páteo do Avillez. Nos doces pode escolher entre a Avelã ao cubo, a pavlova com frutos vermelhos, o bolo de chocolate do bairro e a gulosa combinação de caramelo salgado.

Ainda a dar os difíceis primeiros passos depois do encerramento forçado pelo Estado de Emergência — e, à semelhança de todo o setor da restauração, a enfrentar duras dificuldades –, Avillez começa lentamente a preparar aquilo que será “nova normalidade” do seu império de restaurantes. Para já há esta novidade, ainda este verão também está previsto o acrescento de uma esplanada exterior ao Bairro do Avillez, consequência do encerramento ao trânsito dessa rua, e no futuro certamente mais novidades surgirão.

José Avillez: “Vai haver uma razia no setor. Vão fechar centenas e centenas de restaurantes ao longo deste ano”

Recomendamos

A página está a demorar muito tempo.