O Governo vai transferir para a Câmara do Comércio de Angra do Heroísmo 1,5 milhões de euros anuais do Plano de Revitalização Económica da Ilha Terceira (PREIT) para revitalizar a economia da ilha.

Na Resolução do Conselho de Ministros n.º 69/2020, publicada esta quarta-feira em Diário da República, que prorroga o apoio do Governo no âmbito do PREIT, é fixada, “para apoio às ações” a promover no desenvolvimento da economia, nomeadamente turismo, uma dotação anual de 1,5 milhões de euros, a transferir para a Câmara de Comércio de Angra do Heroísmo.

A resolução refere que o apoio financeiro “visa contribuir para o desenvolvimento da atividade económica regional, em particular do setor do turismo, apoiando projetos turísticos que proporcionem o desenvolvimento turístico e económico da ilha Terceira”.

Pretende-se “fomentar o emprego e a coesão social, a requalificação das empresas do setor, a melhoria da conetividade, a dinamização e promoção de operações turísticas, a qualificação de recursos humanos, a aposta na estruturação de produtos diversificados baseados no património cultural e natural da ilha, bem como a promoção para segmentos específicos que contribuam também para a diversificação de mercados”.

O Conselho de Ministros deliberou que os encargos decorrentes da resolução “são suportados por verbas a inscrever” no orçamento do Turismo de Portugal.

A 13 de fevereiro de 2015 foi aprovada, pela Assembleia Legislativa dos Açores, uma resolução do Governo Regional sobre o PREIT, elaborada depois de os Estados Unidos da América terem manifestado a intenção de reduzir o contingente militar estacionado na Base das Lajes, estabelecendo medidas para acautelar o impacto económico e social na ilha Terceira.

Solicitava-se na resolução do parlamento regional medidas de apoio por parte do Governo, o que estava em marcha.

O executivo considera que, “com a chegada da pandemia da Covid-19, assiste-se a uma fortíssima e súbita retração das viagens, quer a nível mundial quer também a nível nacional, com repercussão direta e imediata na procura dos serviços oferecidos pelas empresas do setor do turismo, que acabavam de sair de uma época baixa e se viram, de um momento para o outro, sem procura”.

Os efeitos verificados em todo o território nacional fazem-se sentir de forma acentuada nas regiões turísticas insulares, ainda que a ilha Terceira viesse logrando uma crescente visibilidade e reconhecimento enquanto destino turístico, fruto também dos investimentos nacionais e regionais dedicados no âmbito do PREIT”, considera o Governo.

A prorrogação do apoio financeiro à revitalização turística e económica da ilha Terceira, no âmbito do PREIT, terá início a 1 de janeiro de 2021 e termo em 31 de dezembro de 2022.

Os deputados socialistas eleitos pelos Açores para a Assembleia da República já se congratularam com a resolução que prorroga o apoio do Governo da República, no âmbito do Plano de Revitalização Económica da Ilha Terceira.

De acordo com uma nota de imprensa, os parlamentares referem que, com a pandemia da Covid-19, “tem-se assistido a uma fortíssima retração das viagens, cujos efeitos se fizeram sentir, de forma acentuada, nas regiões turísticas insulares”.

Os deputados insulares Isabel Almeida Rodrigues, Lara Martinho e João Castro apontam que este apoio “visa ainda contribuir para o desenvolvimento da atividade económica regional, em particular do setor do turismo”, apoiando projetos que “proporcionem o desenvolvimento turístico e económico da ilha, fomentando o emprego e a coesão social, a requalificação das empresas do setor, a melhoria da conetividade, a dinamização e promoção de operações turísticas”.

Também esta quarta-feira se ficou a saber, no que refere à Terceira e ao turismo, que a operadora Ryanair vai manter os voos entre o continente e a região autónoma, pondo assim fim à especulação de que terminaria a rota com a Terceira.

Fruto dos trabalhos desenvolvidos com o Governo da República e com o Turismo de Portugal, foi possível manter as condições, no âmbito do Plano de Revitalização Económica da Ilha Terceira e do cenário de pandemia, para que a Ryanair continue a operar da Terceira para o continente, seis vezes por semana, como operava antes, quatro vezes para Lisboa e duas para o Porto”, afirmou esta quarta-feira a secretária regional com a tutela do Turismo.

Marta Guerreiro disse ainda que estão já disponíveis os voos para marcação, a partir de janeiro, no sítio da operadora de baixo custo, considerando que as suas ligações com aquela ilha “têm tido, de facto, um impacto importante no desenvolvimento económico”.

BE Açores diz que é “inconcebível” região fazer negócios com Ryanair

O Bloco de Esquerda dos Açores definiu esta quarta-feira como “inconcebível” que a região faça “negócios” com a Ryanair, transportadora que se queixou de apoios públicos à SATA e “quer destruir” a operadora açoriana e a TAP.

O Governo dos Açores anunciou esta quarta-feira a celebração de dois contratos com a companhia aérea Ryanair, no valor de dois milhões de euros, para promoção da região no Reino Unido e Alemanha, ao mesmo tempo que se ficou a saber que a companhia não abandonará as rotas para a ilha Terceira.

A Ryanair, lembrou no parlamento regional o líder do BE nos Açores, António Lima, apresentou uma queixa europeia contra a aprovação de apoios à SATA e à TAP e, nesse sentido, defendeu que “é preciso não ter vergonha” para negociar com a empresa.

É inconcebível que um governo que representa os acionistas da SATA, que são os açorianos e as açorianas, faça negócios destes com a empresa que quer destruir a SATA e a TAP”, frisou o também líder parlamentar do Bloco.

E prosseguiu: “Seria interessante saber o que a Comissão Europeia, do alto da sua ortodoxia neoliberal, pensa deste apoio de Estado à Ryanair”.