A coordenadora do BE, Catarina Martins, felicitou esta terça-feira os trabalhadores do Serviço Nacional de Saúde por nunca desistirem desta “extraordinária construção da democracia”, recordando as palavras do socialista António Arnaut que considerou tratar-se de “uma exigência ética da civilização”.

No dia em que se cumprem os 41 anos do Serviço Nacional de Saúde (SNS), Catarina Martins recorreu à rede social Twitter para assinalar esta data e citou o ex-líder bloquista João Semedo e o socialista António Arnaut, que escreveram juntos o livro “Salvar o SNS – Uma nova Lei de Bases da Saúde para defender a democracia”, apresentado no início de 2018.

“Nos 41 anos do Serviço Nacional de Saúde, os parabéns são para os seus trabalhadores que nunca desistem desta extraordinária construção da democracia”, enalteceu a líder bloquista.

Segundo Catarina Martins, “na dificuldade acrescida da resposta à pandemia, prova-se, como João Semedo sempre insistiu, que a força do SNS reside nos seus profissionais e num povo que não o dispensa”.

“Vale a pena lembrar as palavras de António Arnaut sobre as dificuldades do SNS e a nossa responsabilidade”, acrescentou.

Assim, a coordenadora do BE citou Arnaut: “O SNS é do povo, é uma exigência ética da civilização. Por isso, todos os partidos devem dar-lhe o seu apoio se querem servir os profundos interesses nacionais. É tempo de semear de novo. Perdeu-se alguma sementeira mas não se perdeu a semente. E o terreno é fértil”.

Esta manhã, o Presidente da República, Marcelo Rebelo de Sousa, elogiou os profissionais de saúde e defendeu um reforço dos meios do SNS, numa mensagem em que assinala os 41 anos desta rede de estabelecimentos e serviços públicos.

O chefe de Estado “lembra a todos que é necessário ir mais longe, reforçar e dotar o Serviço Nacional de Saúde (SNS) dos meios adequados para responder ao grande desafio dos próximos tempos” e evoca nesta nota o fundador do PS e antigo ministro António Arnaut, que morreu há dois anos e é considerado o “pai” do SNS.