O secretariado do PS do Pico contradiz as acusações de falta de investimento no concelho de São Roque referindo a “memória seletiva” do PSD, que dizem estar a “denegrir” a ilha. A estrutura socialista da ilha montanha afirmou este sábado, em comunicado, que tem vergonha “da postura do PSD, que, na ânsia de aparecer no espaço mediático, e sem contributos para dar, tenta pôr açorianos contra açorianos, proferindo inverdades sobre o investimento que o Governo do Partido Socialista tem feito na ilha do Pico e, em concreto, no concelho de São Roque”.

O partido reage ao comunicado enviado na sexta-feira, em que o presidente da comissão política concelhia do PSD de São Roque do Pico, Luís Filipe Silva, defendia que, “em vésperas de eleições regionais”, as recentes ações do Governo Regional, que deu início à obra da gare marítima de passageiros no concelho em 10 de setembro, “mais não são do que atirar areia para os olhos das pessoas do Pico, e de São Roque em particular”.

Segundo Luís Filipe Silva, este é já “o terceiro mandato consecutivo” em que o executivo açoriano do PS apresenta “estudos e projetos para o terminal de passageiros e respetivo molhe” do Cais de São Roque, sem que as obras se tenham concretizado.

Em 2012, o atual presidente do Governo, Vasco Cordeiro, veio a São Roque do Pico apresentar o reordenamento da baía do porto comercial da ilha. Até hoje nada de obra ou de algum projeto que nos permita ter uma visão de futuro, para a referida baía”, salientou.

O dirigente social-democrata defendeu que o lançamento da obra da nova gare marítima no cais serviu apenas para “calar a boca a alguns”, acusando o executivo socialista de “enganar o povo de São Roque”.

Em resposta às acusações, o PS afirmou que “os factos contradizem a memória seletiva deste PSD que teima em ter uma atitude derrotista, denegrindo inclusive a sua ilha”, elencando vários investimentos em estradas, escolas, reservatórios de água para a lavoura, a Casa dos Vulcões e o Centro de Interpretação da Vinha e do Vinho, bem como “os milhões investidos na reabilitação e produção das vinhas do Pico”.

O PS considera que é “notório o incómodo que o PSD sente com o avançar de projetos importantes, como é o caso do terminal de passageiros, cujo investimento é menosprezado pelo PSD que o classifica de ser o ‘mais barato e fácil’, quando na verdade, o que está causa é um passo muito importante”.

Só um partido que não tem soluções poderá achar que um investimento como o que está a ser feito no Porto de São Roque não está integrado num plano de reordenamento daquela bacia”, prosseguiu o secretariado de ilha.

Os socialistas lembram que o PSD “tudo fez para não permitir o aumento da pista do aeroporto do Pico em 2003”, acrescentando que “certamente os picarotos não esquecerão a forma como a ilha do Pico foi condicionada ao nível das acessibilidades aéreas e marítimas e do seu desenvolvimento económico — que hoje é uma realidade, fruto das suas gentes e dos investimentos levados a cabo pelos governos do PS”.

As próximas eleições para o parlamento açoriano decorrem em 25 de outubro. O PS governa a região há 24 anos, tendo sido antecedido pelo PSD, que liderou o executivo regional entre 1976 e 1996.