Visitas guiadas a exposições, música, teatro, conversas e oficinas compõem a programação dos três dias de celebrações do 4.º aniversário do Museu de Arte, Arquitetura e Tecnologia (MAAT), em Lisboa, a decorrerem de sábado a segunda-feira.

Nos três dias, de 3 de outubro ao dia 5, feriado da Implantação da República, entre as 11h e as 19h, as entradas serão gratuitas para visitar as exposições patentes nos dois edifícios — o novo, desenhado pela arquiteta Amanda Levete, e a Central Tejo – incluindo as recém-inauguradas “Ballad of Today”, de André Cepeda, e “Festa. Fúria. Femina. — Obras da Coleção FLAD” (Fundação Luso-Americana para o Desenvolvimento), anunciou esta terça-feira o museu.

A programação inclui também visitas guiadas aos jardins da Fundação EDP e visitas temáticas de arquitetura, música itinerante com Farra Fanfarra, e Swing na Guelra, teatro para crianças, oficinas e conversas de artistas.

O museu ressalva que as várias atividades têm lotação limitada, “de forma a garantir o plano de segurança e a seguir as recomendações da Direção-Geral da Saúde e da legislação em vigor, no âmbito das medidas de prevenção da Covid-19”.

Na programação contam-se atividades para várias idades, como a oficina para crianças “A magia do eletroíman” e o teatro infantil, com o espetáculo/leitura encenada “Quanto tempo somos?”, a conversa “Um mapa do bacalhau” em Lisboa, com André Tavares, a conversa/performance “Lado B: Paulo Brighenti – A Herança” e visitas aos jardins do museu, entre outras iniciativas.

Estão ainda previstas visitas temáticas de arquitetura – “Espaços Legíveis” – incluindo visitas de espaços acessíveis para públicos invisuais ou com baixa visão.

Inaugurado a 4 de outubro de 2016, o MAAT é um museu de arte contemporânea em Lisboa, que cruza também a arquitetura e a tecnologia, situado na zona de Belém, junto ao rio Tejo, criado pela Fundação EDP. O museu compreende as instalações da antiga Central Tejo, ex-Museu da Eletricidade.

O novo edifício, desenhado pela arquiteta britânica Amanda Levete, do ateliê AL_A, abriu sob a direção do arquiteto Pedro Gadanho, substituído em 2019 pela italiana Beatrice Leanza, curadora e crítica de arte.

O MAAT ocupa uma área de 38 mil metros quadrados e é parte integrante da Fundação EDP, que pertence ao Grupo EDP – Energias de Portugal.