O município de Seia anunciou esta terça-feira que vai comparticipar a vacinação da gripe nas farmácias aos munícipes residentes no concelho, com idade igual ou superior a 65 anos, para evitar a sobrecarga das estruturas públicas de saúde.

Em comunicado, a autarquia presidida por Carlos Filipe Camelo explica que a iniciativa resulta de um protocolo no âmbito do programa Vacinação SNS Local, subscrito pela Câmara Municipal de Seia e pela Dignitude, uma instituição particular de solidariedade social sem fins lucrativos, responsável pela operacionalização e gestão do Programa abem: Rede Solidária do Medicamento.

O município de Seia, no distrito da Guarda, definiu um apoio financeiro de 3.375 euros para comparticipar a vacinação da gripe nas farmácias do concelho, “o que permite ampliar a resposta em mais 1.500 beneficiários, abrangendo todo o universo sinalizado pelas autoridades de saúde, num total de 7.055 utentes”.

Apesar da vacina ser gratuita, a sua administração nas farmácias implica um custo para os utentes, que deverão solicitar a sua vacinação contra a gripe numa farmácia aderente à sua escolha, suportando o município esse encargo, até um valor máximo de 2,25 euros/ato”.

O presidente da Câmara Municipal de Seia, Carlos Filipe Camelo, justifica a medida com a “necessidade de criar condições para que mais pessoas tenham acesso à vacina, mas também o reforço das medidas preventivas e de combate à propagação da Covid-19, favorecendo a não aglomeração de pessoas nas unidades de saúde e deslocações desnecessárias à sede do concelho”.

Para os munícipes usufruírem da vacina da gripe basta terem 65 anos ou mais, procurar a farmácia mais próxima e fazer prova de residência no concelho, sem necessidade de receita médica, é indicado.

Aderiram à iniciativa as farmácias Manaia, Sena, Coelho, Melo e Gandarez (Seia), São Romão (São Romão), Alva (Sandomil), Popular (Loriga) e Paranhense (Paranhos da Beira).