478kWh poupados com o Logótipo da MEO Energia Logótipo da MEO Energia
i

A opção Dark Mode permite-lhe poupar até 30% de bateria.

Reduza a sua pegada ecológica.
Saiba mais

Logótipo da MEO Energia

Adere à Fibra do MEO com a máxima velocidade desde 29.99/mês aqui.

Covid-19. Menos novos casos, mas internamentos continuam a subir

Este artigo tem mais de 1 ano

Internamentos não aumentaram tanto como ontem mas continuam em reta crescente: nos cuidados intensivos estão quase 500 pessoas em Portugal. Número de novos casos é o mais baixo dos últimos 7 dias.

Virus Outbreak Portugal
i

NurPhoto via Getty Images

NurPhoto via Getty Images

Tem acesso livre a todos os artigos do Observador por ser nosso assinante.

Portugal registou esta segunda-feira mais 4.044 novos casos positivos de SARS-CoV-2 e mais 74 mortes por Covid-19. Apesar de a curva continuar ascendente, este é o valor mais baixo de novos casos dos últimos sete dias — os dados desta segunda-feira dizem respeito ao domingo, que é por norma um dia de menor reporte de ocorrências no sistema. Na última segunda-feira tinham sido registados mais 3.996 novos casos e de lá para cá a fasquia fixou-se sempre acima dos 5 mil e dos 6 mil novos casos diários.

É nos internamentos, contudo, que as atenções mais estão concentradas. Numa altura em que o Governo aponta recorrentemente para a elevada pressão que existe no SNS, sendo preciso diminuir os contágios para os hospitais aguentarem a pressão de novos doentes a chegar, os números voltaram a atingir novos máximos: há mais 90 pessoas hospitalizadas, num total de 3.241 internamentos em todo o país (número mais alto de sempre, e o dobro do registado no pico da primeira vaga, em abril).

E há mais sete pessoas internadas em unidades de cuidados intensivos (UCI) do que na véspera, o que faz com que o total de doentes internados em estado grave em todo o país esteja muito perto dos 500: são atualmente 498 os internados em UCI. Nunca o número foi tão alto.

O boletim diário da Direção-Geral de Saúde aponta, também, para mais 74 óbitos, que se juntam aos 73 mortos registados no domingo. Há também mais 3.908 doentes recuperados, o que faz com que haja já um total de 176.827 recuperados em todo o país. Assim, subtraídos os novos recuperados e as mortes, há mais 62 casos ativos e um novo máximo: 84.004 casos ativos em Portugal desde o início do surto.

Mais uma vez, é no Norte do país que se concentra a maior parte dos novos casos, com um total de 2.258 novos casos de Covid-19 nas últimas 24 horas. Foi também no Norte que se registaram mais mortes: 35 dos 74 óbitos a lamentar. Tal representa 55,8% das novas infeções, o que significa que 55 em cada 100 novos infetados se encontra no norte do país.

Logo a seguir aparece a região de Lisboa e Vale do Tejo, que regista 26% dos novos casos de infeção, com 1.052 casos do total de 4.044 novos casos registados. A par do Norte, foi também em Lisboa que morreram mais pessoas entre domingo e segunda-feira: 26 das 74 mortes registaram-se nesta região do país.

De resto, segue-se a região Centro, com 490 novos casos (12%), e mais 10 mortes; depois o Algarve, com mais 126 casos nas últimas 24 horas (3%) e uma morte; depois o Alentejo, com mais 68 casos (1,7%) e 2 mortos; depois os Açores com mais 31 casos (0,8%) e a Madeira com mais 19 novos casos, o que representa apenas 0,5% do total de novas infeções registadas nas últimas 24 horas (ambos sem mortes a registar).

Desde que começou a pandemia em Portugal, houve uma vítima com menos de 9 anos, quatro na faixa dos 20-29 anos e seis com entre 30 e 39 anos. O número de óbitos desagregados por idade acelera a partir daí: 37 com cerca de 40 anos, 118 na faixa dos 50-59 e 331 com entre 60 e 69 anos. Depois, com entre 70 e 79 anos já houve 795 óbitos e os restantes 2.679 eram pessoas com mais de 80 anos.

Dos 74 óbitos que se registaram este domingo (que constam do Boletim de segunda-feira), a maior parte trata-se de idosos com mais de 80 anos, tendo morrido 23 homens e 23 mulheres nesta faixa etária. Há, contudo, mais quatro óbitos na faixa etária dos 50 anos (três homens e uma mulher), assim como há três óbitos na faixa etária dos 60 anos (todos do sexo masculino).

Entre os 70 e os 79 anos morreram mais 14 homens, nas últimas 24 horas, e mais sete mulheres nesta faixa etária.

A página está a demorar muito tempo.

Ofereça este artigo a um amigo

Enquanto assinante, tem para partilhar este mês.

A enviar artigo...

Artigo oferecido com sucesso

Ainda tem para partilhar este mês.

O seu amigo vai receber, nos próximos minutos, um e-mail com uma ligação para ler este artigo gratuitamente.

Ofereça artigos por mês ao ser assinante do Observador

Partilhe os seus artigos preferidos com os seus amigos.
Quem recebe só precisa de iniciar a sessão na conta Observador e poderá ler o artigo, mesmo que não seja assinante.

Este artigo foi-lhe oferecido pelo nosso assinante . Assine o Observador hoje, e tenha acesso ilimitado a todo o nosso conteúdo. Veja aqui as suas opções.

Atingiu o limite de artigos que pode oferecer

Já ofereceu artigos este mês.
A partir de 1 de poderá oferecer mais artigos aos seus amigos.

Aconteceu um erro

Por favor tente mais tarde.

Atenção

Este artigo só pode ser lido por um utilizador registado com o mesmo endereço de email que recebeu esta oferta.
Para conseguir ler o artigo inicie sessão com o endereço de email correto.