A Bitcoin, a criptomoeda mais usada a nível mundial, atingiu esta quarta-feira um novo recorde, próximo dos 28.600 dólares, mas depois perdeu a força e está agora a cotar-se em torno dos 27.600 dólares.

A criptomoeda atingiu 28.572 dólares, acima do máximo anterior de 28.365 dólares, atingido no domingo, segundo dados da Bloomberg, citados pela agência espanhola Efe.

De acordo com Diego Morín, da IG, as acentuadas valorizações ao Bitcoin devem-se, principalmente, “à forte procura institucional e a plataformas como o Paypal, que permitem que as criptomoedas operem em território norte-americano”.

Além disso, prossegue Morín, a valorização da bitcoin nos últimos meses “gerou um grande interesse” por parte dos bancos.

Em 16 de dezembro, a criptomoeda ultrapassou o patamar dos 20.000 dólares e pela primeira vez atingiu os 21.295 dólares. A partir daí, a criptomoeda não parou de subir, animada pelos grandes gestores de fundos internacionais.

No dia 17 de dezembro deste ano, atingiu os 23.720 dólares e dois dias depois ultrapassou a barreira dos 24.000 dólares. No sábado, aproximou-se dos 27.000 dólares (26.799 dólares), segundo dados da Bloomberg citados pela Efe.