Tem acesso livre a todos os artigos do Observador por ser nosso assinante.

Quando Paulo de Carvalho compôs a melodia da canção que se viria a tornar “Lisboa, Menina e Moça”, o novo tema oficial da cidade de Lisboa assim decretado pela Câmara Municipal da capital — em homenagem a Carlos do Carmo —, a ideia não era compor uma música cuja letra fosse sobre Lisboa.

O tema, na sua primeira versão, foi feito no final de 1975 com letra escrita por Joaquim Pessoa, um poeta, escritor, artista plástico, publicitário, letrista e professor universitário português que chegou a ser diretor da Sociedade Portuguesa de Autores e diretor e colaborador de jornais e revistas. E não versava sobre a capital do país. O título dessa primeira versão, que foi rejeitada pelo júri do Festival da Canção de 1976, torna isso muito claro: o primeiro esboço chamava-se “Do Algarve ao Minho”.

Este artigo é exclusivo para os nossos assinantes: assine agora e beneficie de leitura ilimitada e outras vantagens. Caso já seja assinante inicie aqui a sua sessão. Se pensa que esta mensagem está em erro, contacte o nosso apoio a cliente.