Tem acesso livre a todos os artigos do Observador por ser nosso assinante.

O Fiat 500e, a versão eléctrica do popular citadino da marca italiana, surpreendeu o mercado dos veículos eléctricos ao propor uma bateria com uma capacidade de 42 kWh, maior do que se podia antecipar para um modelo com apenas 3,63 m de comprimento e que lhe garante uma autonomia de 320 km, também ela acima da média.

O motor do 500e debita 118 cv, nas versões normais (95 cv na mais acessível Action, que também monta uma bateria menor), o que lhe permite ir de 0-100 km/h em 9 segundos, o que coloca o Fiat na liderança entre os eléctricos propostos abaixo dos 30 mil euros.

Mas a potência da mecânica ao serviço do 500e não vai ficar por aqui. De acordo com o presidente da Fiat, Olivier François, a Abarth vai igualmente propor uma versão do citadino eléctrico, sendo de esperar que, uma vez a envergar o logótipo do escorpião, o 500e ofereça mais potência e um comportamento mais eficaz e divertido.

O anúncio de Olivier François foi realizado através das redes sociais, segundo a imprensa italiana e, face à agitação que provocou, tornou-se óbvio que à semelhança do que acontece às versões mais musculadas da Abarth com mecânicas a gasolina, também aos Abarth 500e não faltarão clientes.

PUB • CONTINUE A LER A SEGUIR