As alterações climáticas têm sido um assunto do dia, todos os dias. E não é para menos. Quer adotemos uma opinião mais ou menos otimista, a verdade é que os problemas estão à vista, com o degelo das calotas polares, o aumento das temperaturas ou até a perda de biodiversidade. Adotar um estilo de vida mais amigo do planeta é urgente e, não, não significa que tenha de fazer mudanças drásticas na sua forma de viver. Os gestos mais simples são os que podem fazer a maior diferença, quando feitos por milhões de pessoas. E isso pode ser desde calçar um par extra de meias em vez de ligar o aquecedor ou até transformar uma camisola velha em panos de limpeza. Conheça aqui 10 formas para ser mais sustentável em casa.

1. Procure alternativas ao aquecedor

Com a chegada do tempo frio, é habitual que a conta da luz dispare. O motivo? Os nossos tão adorados aquecedores, que saíram da arrecadação para a sala de estar. Mas não é só a sua carteira que fica mais leve, o planeta também sofre as consequências quando gastamos muita eletricidade. Claro que não estamos a sugerir que passe frio dentro de casa. Contudo, antes de ligar o aquecedor, experimente vestir uma camada extra de roupa para se manter quente.

2. Evite a máquina de secar roupa

Lavou uma máquina de roupa e, quando vai até ao pátio para estendê-la no arame apercebe-se de que está a chover? “Que azar”, pensa, enquanto dá meia volta a caminho da máquina de secar roupa. Este eletrodoméstico é responsável por um elevado consumo de energia e, por isso, não deve ser o nosso plano B. Coloque no interior de sua casa um estendal portátil, a que possa recorrer nos dias em que é impossível secar a roupa ao ar livre. Se tem mesmo de usar a máquina de secar, há formas de minimizar o consumo de energia, como retirar o excesso de água das peças de vestuário, endireitar a roupa e, muito importante, assegurar-se de que a máquina está cheia.

PUB • CONTINUE A LER A SEGUIR

3. Invista em lâmpadas mais eficientes

Esta recomendação não é de agora, mas, no entanto, ainda há muitas pessoas que usam nas suas casas lâmpadas incandescentes. Trocá-las pelas lâmpadas LED vale mesmo a pena, pois, além de permitirem economizar eletricidade, duram muito mais tempo e por isso não tem de comprar lâmpadas com tanta frequência. Ótimas notícias para o meio ambiente e para as suas poupanças. Independentemente disso, a velha máxima mantém-se: quando não estiver numa divisão, desligue sempre as luzes.

4. Reduza o desperdício alimentar

Por ano, em Portugal, vai parar ao lixo cerca de um milhão de toneladas de alimentos. Não nos debatemos muito sobre o assunto de cada vez que despejamos o resto do leite pelo cano abaixo ou quando deitamos os restos do jantar para o lixo, mas devíamos fazê-lo. Os alimentos que vão parar a aterros de lixo libertam grandes quantidades de gases com efeito de estufa, pois não são expostos à quantidade necessária de oxigénio para que ocorra a sua biodegradação. Existem várias estratégias que o podem ajudar reduzir o desperdício alimentar em casa:

Faça um planeamento semanal das suas refeições;
Compre apenas aquilo de que vai precisar;
Congele todos os alimentos que não vai consumir a curto prazo;
Use as cascas de legumes para fazer um saboroso caldo.

Reciclagem: 6 mitos que têm de ser esclarecidos

5. Plante as suas ervas aromáticas

Uma das melhores formas de ser mais sustentável na cozinha é cultivando os seus próprios alimentos. É claro que nem toda a gente consegue ter uma horta em casa, mas não é preciso complicar. Arranje um cantinho na sua cozinha e coloque alguns vasos com ervas aromáticas. Potenciam o sabor dos seus cozinhados, dão um aroma natural ao lar e são uma opção muito mais sustentável do que comprar coentros, salsa ou manjericão em embalagens de plástico.

6. Encha a despensa (e o frigorífico) de alimentos sustentáveis

Comprar a granel tem sido um dos tipos de consumo mais incentivados nos últimos anos. É a melhor forma de evitar o uso desnecessário de plástico, presente em muitas das embalagens dispostas nas prateleiras. Contudo, nem sempre é possível adotar este método e nesses casos a melhor alternativa é escolher produtos com embalagens eco-friendly, como Flora Plant, que tem uma embalagem biodegradável. Mas as vantagens deste creme 100% vegetal não se ficam por aqui: não só tem sabor a manteiga (como não adorar?), mas também pode ser usado da mesma forma que este alimento derivado do leite. Isto significa que pode barrar Flora Plant no pão ou utilizá-la nos seus cozinhados, sejam assados, fritos ou até em sobremesas, na base de um belo cheesecake. Com cobertura de fruta da época, claro.

7. Dê uma nova vida ao que tem em casa

Costuma dizer-se que no poupar está o ganho e não é por acaso. Além de evitar gastar dinheiro em produtos novos, evita o desperdício e poupa o ambiente. E há tantas coisas que pode reaproveitar em casa. Tem frascos de vidro a mais? Transforme-os em vasos para as suas plantas ou use-os para organizar lápis e canetas. Quanto às roupas mais velhas, já com alguns buracos ou nódoas, corte-as em quadrados e fica com uns belos panos para as lides domésticas.

8. Limpe a casa com produtos amigos do ambiente

Os detergentes e outros produtos de limpeza que utilizamos nas nossas casas podem ser muito prejudiciais para o meio ambiente. Depois de utilizados, são muitas vezes deitados fora pelo ralo, contaminando a água. Depois, nas estações de tratamento, são necessários muito mais recursos para purificar novamente a água. A boa notícia é que muito provavelmente já tem na sua despensa várias alternativas aos produtos de limpeza “normais”. O bicarbonato de soda, o sumo de limão e o vinagre podem todos ser usados em substituição da lixívia ou como detergentes para matar bactérias e eliminar gordura e odores. Mas nas prateleiras do supermercado também se encontram produtos de limpeza eco-friendly. Basta procurar.

9. Prefira produtos de higiene sólidos

São a tendência do momento e não é por acaso. Os consumidores estão cada vez mais sensibilizados para a importância de utilizar produtos de higiene pessoal que respeitem o ambiente. Tal como acontece com os produtos de limpeza, também os champôs e amaciadores para o cabelo (mas não só) podem ter inúmeras substâncias prejudiciais para os ecossistemas, que podem ir parar aos oceanos através dos esgotos. Se ainda não é adepto, da próxima vez que for às compras dê uma oportunidade aos champôs e amaciadores sólidos feitos a partir de ingredientes naturais e com um dispêndio muito menor de água face aos champôs normais. Estes têm ainda outra grande vantagem: não têm embalagem de plástico. Dentro deste tipo de produtos, já há também desodorizantes, dentífricos e muito mais.

10. Escolha cortinados mais grossos

São para muitos de nós um acessório de decoração indispensável, que dão um ambiente mais aconchegante a qualquer casa. Mas os cortinados são muito mais do que um simples objeto decorativo. Optar por colocar nas janelas cortinados mais grossos, especialmente nos quartos, pode ser uma ótima estratégia para conservar energia. No verão, por exemplo, ajuda a manter as divisões mais frescas e escuras, reduzindo a necessidade de ligar o ar condicionado.