A tenista Mayar Sherif fez história esta terça-feira no Open da Austrália, ao tornar-se na primeira jogadora do Egipto a vencer um encontro do quadro principal de um torneio do Grand Slam, em Melbourne Park.

A jovem natural do Cairo, de 24 anos, conquistou o triunfo diante da francesa e também ‘qualifier’ Chloe Paquet, em dois equilibrados ‘sets’, com os parciais de 7-5 e 7-5, em uma hora e 41 minutos, num encontro disputado no ‘court’ número seis.

Graças à estreia bem sucedida, Mayar Sherif, que figura no 131.º lugar do ‘ranking’ WTA, tornou-se na primeira mulher do seu país a conquistar uma vitória num torneio do Grand Slam, neste caso no ‘major’ australiano, depois de igualmente pioneira, em 2020, na qualificação para o quadro principal de Roland Garros.

Obviamente que isto significa muito, porque foi uma barreira que finalmente consegui ultrapassar, uma barreira mental. Estou muito contente com a minha conquista e vou lutar por mais”, confessou a jovem residente em Elche, Espanha.

PUB • CONTINUE A LER A SEGUIR

Apesar de ter encerrado a temporada passada a jogar torneios ITF, com um título em novembro na prova de 100 mil dólares em Charleston, na Carolina do Sul (Estados Unidos), após o feito histórico na terra batida do ‘major’ francês, as conquistas de Mayar Sherif têm vindo a ser reconhecidas no seu país natal.

É uma sensação tão maravilhosa, especialmente quando as crianças me reconhecem. Quero que acreditem nelas próprias e, ao olharem para mim, queiram ser como eu”, acrescentou a tenista, que vai agora tentar escrever nova página no ténis egípcio frente à eslovena Kaja Juvan (104.ª WTA), que beneficiou da desistência da britânica e 13.ª cabeça de série, Johanna Konta, na jornada inaugural do Open da Austrália.