459kWh poupados com o Logótipo da MEO Energia Logótipo da MEO Energia
i

A opção Dark Mode permite-lhe poupar até 30% de bateria.

Reduza a sua pegada ecológica.
Saiba mais

Logótipo da MEO Energia

Adere à Fibra do MEO com a máxima velocidade desde 29.99/mês aqui.

Porque é que o mundo inteiro está a assar tomate com queijo feta?

Este artigo tem mais de 1 ano

Tudo começou em 2018 mas só recentemente é que esta receita de uma blogger finlandesa viralizou de tal forma que milhões em todo o mundo (Portugal incluído) já a fizeram pelo menos uma vez.

Tomate cherry, queijo feta, azeite, manjericão e massa são os poucos ingredientes exigidos para esta receita.
i

Tomate cherry, queijo feta, azeite, manjericão e massa são os poucos ingredientes exigidos para esta receita.

@liemessa

Tomate cherry, queijo feta, azeite, manjericão e massa são os poucos ingredientes exigidos para esta receita.

@liemessa

Tem acesso livre a todos os artigos do Observador por ser nosso assinante.

Até há muito pouco tempo era bem provável que nove em cada dez pessoas não fizesse a mínima ideia de quem era Jenni Häyrinen, a menos que essas pessoas fossem finlandesas. Não passava de uma popular blogger de comida no seu país natal até que uma das suas receitas se tornou um fenómeno viral à escala mundial. Assim nasceu a loucura da “uunifetapasta”, algo como “massa com queijo feta e tomate assados”, em português. De tal forma que por cá, se for à procura do típico queijo grego em algum hipermercado, o mais provável é ter algumas dificuldades: apesar de nos sites do Continente, El Corte Inglés e Auchan, por exemplo, ainda encontrar à venda uma ou outra unidade, há várias marcas assinaladas como indisponíveis ou esgotadas. Mas de onde veio esta loucura toda?

Tudo começou com a receita que Jenni publicou em fevereiro de 2019, uma simplificação de outra que tinha sido criada em 2018 por outra blogger finlandesa, Tiiu Piret. Na sua base trata-se de uma combinação de tomate cherry, queijo feta, malagueta, alho e azeite que são assados no forno para depois lhes ser adicionada massa cozida. Tudo misturado, um toque de manjericão fresco e pronto, está feito em cerca de 40 minutos uma refeição completa.

“Assim que mostrei a receita nas stories do meu Instagram notei logo uma grande resposta por parte dos seguidores”, conta Häyrinen numa entrevista que deu ao norte-americano Today Food.  A blogger, que também afirmou ter-se lembrado deste prato simplesmente porque certo dia estava cheia de fome e quis fazer um almoço rápido, conta que decidiu organizar um live #uunifetapasta e que este foi igualmente um sucesso. Jenni refere que ao republicar as criações feitas pelos seus seguidores, em menos de nada “outros influencers e jornais” começaram a falar do assunto. “Num par de semanas toda a gente na Finlândia estava a cozinhar a minha receita!”, conta. Apesar de Jenni afirmar que várias lojas na Finlândia chegaram a ficar sem queijo feta nas suas prateleiras à conta da receita, não há provas que o confirmem. Ainda assim isso não impediu que o #uunifetapasta fosse considerado, ainda em 2019, o fenómeno do ano na Finlândia. Jenni mal saberia que uns anos depois o movimento chegaria ao resto do mundo.

@grilledcheesesocial

Baked feta pasta viral recipe! Inspired by #uunifeta via @liemessa & @tiiupiret #learnontiktok #foodtiktok #foodie

♬ She Share Story (for Vlog) - 山口夕依

É o Washington Post que explica que o “salto” para o patamar global deu-se quando uma blogger norte-americana chamada MacKenzie Smith decidiu fazer no Tik Tok a sua versão do prato, no final do passado mês de janeiro, — apesar de já a ter publicado por escrito no seu blog, Grilled Cheese Social, em junho de 2019. O Tik Tok de Smith viralizou por completo, somando mais de 3 milhões de visualizações, e criou o movimento #bakedfetapasta. No total, os vídeos no Tik Tok associados a esta hashtag somaram 52 milhões de visualizações. E assim nasceu o fenómeno que, apesar de haver quem não ache nada de mais (alguns críticos apontam a falta de suavidade do molho como sendo um ponto contra), é caracterizado como delicioso.

Milhões de pessoas em todo o mundo já testaram esta receita — as inúmeras referências nas redes sociais assim o comprovam — e até já surgiram variantes: há quem troque os tomates cherry por outros vegetais, por exemplo, ou experimente a mesma fórmula mas com queijos diferentes. Häyrinen parece agradada com estas alterações que foram surgindo organicamente: “Adoro ver as variantes que as pessoas vão criando! É por isso mesmo que faço o que faço, para poder inspirar outras pessoas a cozinhar e a criar as suas próprias iguarias”, afirma. A própria criadora desta receita viral já apresentou as suas próprias modificações, uma delas com espargos em vez de tomate e que também parece estar a fascinar os seus seguidores finlandeses. Será que daqui a uns anos estará o mundo inteiro a fazer essa mistura? É esperar para ver.

Loja Observador Lifestyle

A página está a demorar muito tempo.

Ofereça este artigo a um amigo

Enquanto assinante, tem para partilhar este mês.

A enviar artigo...

Artigo oferecido com sucesso

Ainda tem para partilhar este mês.

O seu amigo vai receber, nos próximos minutos, um e-mail com uma ligação para ler este artigo gratuitamente.

Ofereça artigos por mês ao ser assinante do Observador

Partilhe os seus artigos preferidos com os seus amigos.
Quem recebe só precisa de iniciar a sessão na conta Observador e poderá ler o artigo, mesmo que não seja assinante.

Este artigo foi-lhe oferecido pelo nosso assinante . Assine o Observador hoje, e tenha acesso ilimitado a todo o nosso conteúdo. Veja aqui as suas opções.

Atingiu o limite de artigos que pode oferecer

Já ofereceu artigos este mês.
A partir de 1 de poderá oferecer mais artigos aos seus amigos.

Aconteceu um erro

Por favor tente mais tarde.

Atenção

Este artigo só pode ser lido por um utilizador registado com o mesmo endereço de email que recebeu esta oferta.
Para conseguir ler o artigo inicie sessão com o endereço de email correto.