Tem acesso livre a todos os artigos do Observador por ser nosso assinante.

Sem o lesionado e castigado Luis Suárez, o castigado Marcos Llorente e o ainda afastado por motivos físicos Moussa Dembelé, Diego Simeone ia tentar defender a liderança isolada da Liga espanhola com várias ausências no setor ofensivo mas reforçado com o regresso de João Félix, que não defrontou o Sevilha pela lesão contraída por Portugal frente ao Luxemburgo. O internacional regressou direto para a titularidade mas, no final do empate com o Betis, terminou como mais uma dor de cabeça para o técnico argentino, de novo por questões físicas.

“Não é uma lesão fácil, tem vindo a arrastar uma dor que não o deixa jogar livremente. Teve de sair mas esperamos que faça um esforço para poder ajudar-nos no próximo jogo [domingo, frente ao Eibar]. Precisamos dele, na primeira parte esteve bem, tal como Carrasco, Saúl Ñíguez, Koke…”, comentou o técnico colchonero. “Vamos pensar jogo a jogo. Tenho jogadores que dão tudo e estou encantado com este momento”, completou.

PUB • CONTINUE A LER A SEGUIR

Com uma linha de três defesas tendo Trippier e Saúl Ñígúez (ou Koke) nas alas e Ferreira Carrasco no apoio à dupla João Félix-Correa, o Atl. Madrid inaugurou o marcador logo aos cinco minutos por Carrasco mas consentiu o empate pouco depois, com Tello a bater Jan Oblak (19′). O avançado português seria substituído pouco depois do intervalo por Torreira, sendo que também Trippier deixou o campo com dificuldades físicas aos 78′, sendo que na antecâmara do encontro também Thomas Lemar foi baixa de última hora para formação de Madrid. A lesão de Félix surgiu ainda na primeira parte, numa entrada de Mandi após remate, o jogador ainda voltou depois do intervalo mas voltou a sentir dores na zona do tornozelo direito e acabou mesmo por sair.

Com mais este empate, o Atl. Madrid passou a somar 67 pontos, mais um do que o Real e mais dois do que o Barcelona, que perdera o clássico com os merengues na véspera. Na próxima ronda, no domingo, o Atl. Madrid recebe o Eibar, ao passo que o Real defronta o Getafe. Já o Barcelona-Granada foi adiado para dia 28.

Barça perde com Real entre bolas nos postes, penáltis reclamados e uma dúvida: foi o último clássico de Messi?