Archie, o filho do príncipe Harry e de Meghan Markle, festejou dois anos esta semana e as publicações nas redes sociais a comemorar a data, nomeadamente na página do Instagram da família real britânica — que usou uma foto em que os príncipes de Sussex apresentaram o filho após o nascimento, ao contrário das outras crianças que receberam os parabéns com fotos atuais — levaram os meios de comunicação britânicos a fazer contas sobre o número de vezes que a criança viu os familiares.

Segundo uma fonte do Daily Mail, “cada pessoa da família de Harry pode contar facilmente pelos dedos de uma mão as vezes que viram o Archie depois de ter nascido e de [os duques] terem deixado o Reino Unido”. Trata-se, nas palavras da mesma fonte, de uma “situação muito triste”, tendo em conta que este número é ainda mais reduzido no caso do avô, o príncipe Carlos, que só terá estado com Archie duas vezes.

Ao contrário das redes sociais da família real, Harry e Meghan optaram por partilhar uma foto atual do filho, onde surge de costas e a segurar vários balões, sendo que já há algum tempo que os duques de Sussex têm tentado proteger a imagem de Archie com uma partilha reduzida de fotografias atuais. A publicação foi feita na página da Archewell, a fundação criada pelos duques, e o aniversário foi aproveitado para apelar à defesa da igualdade do acesso às vacinas contra a Covid-19.

PUB • CONTINUE A LER A SEGUIR

A polémica ganhou força já no dia 15 de abril, aquando da publicação de uma foto onde surge a Rainha Isabel II e o príncipe Filipe, numa homenagem póstuma ao duque de Edimburgo, com todos os bisnetos — à exceção de Archie. Mais tarde percebeu-se que a foto tinha sido tirada por Kate Middleton em 2018, quando  ainda não era nascido.

A relação entre os duques de Sussex e a família real tem vindo a deteriorar-se ao longo dos últimos meses, principalmente depois de Harry e Meghan terem deixado o Reino Unido, quando decidiram construir uma vida longe do escrutínio público. A pandemia também não tem ajudado já que, inicialmente, a ideia de Harry era deslocar-se ao Reino Unido pelo menos uma vez por mês, o que acabou por não acontecer devido à Covid-19.