Tem acesso livre a todos os artigos do Observador por ser nosso assinante.

Se tentou aceder ao Financial Times, ao The New York Times, à Bloomberg, ou até a sites do governo britânico (os acabado em “gov.uk”) e da Casa Branca, e não conseguiu, não foi o único. Como avançaram outros órgãos de comunicação, como a Reuters, vários sites em todo o mundo estiveram inacessíveis. Ao tentar abrir o site, aparecia o erro “503” e uma página em branco. O problema está relacionado com uma falha da rede da Fastly, que gere servidores de internet. Cerca de uma hora depois de o erro ter sido “identificado”, a empresa afirmou que o “resolveu” e os sites voltaram a ficar acessíveis.

Um dos erros que surge ao tentar entrar nos sites afetados

Ainda não se sabe a extensão total do problema. Contudo, o mesmo está relacionado com falhas na rede da empresa de serviços na nuvem Fastly, que gere o acesso a inúmeros sites, como explica a entidade na sua página oficial. Numa das últimas atualizações quanto a esta falha, a empresa afirmou que “o problema foi identificado e uma correção está a ser implementada”. Agora, com a falha corrigida, explica que os seus clientes podem “experienciar” um aumento súbito de tráfego “assim que os serviços globais voltem”.

O que terá causado este apagão foi uma falha CDN (Content Delivery Network). Esta sigla corresponde à forma como as redes como a Fastly guardam os dados em servidores em cada região. Como explica o 9to5Mac, um site especializado em tecnologia, estas falhas são “geralmente raras”. Porém, quando acontecem, “têm implicações de amplo alcance”, como a desta terça-feira.

Por outras palavras, este não foi um problema isolado a poucas páginas na internet, pelo contrário. Outras plataformas, como o Reddit, também mostraram o mesmo erro “503”. No entanto, com a Fastly a resolver o assunto, a rede social foi das primeiras páginas a voltar a ficar acessíveis. Noutros sites, como o The New York Times ou a CNN, aconteceu o mesmo.

PUB • CONTINUE A LER A SEGUIR

Com a resolução da falha, alguns dos sites de notícias começaram a noticiar a falha que tiveram. A CNN, por exemplo, explica que os sites “estiveram” em baixo, adiantou que os sites do Pinterest, do HBO Max, do Hulu e do Spotify também foram afetados. O Kotaku, um site norte-americano de notícias de videojogos, que também foi afetado, refere que “Esta noite, a internet quebrou-se [nos EUA ainda é noite ou madrugada]”. O mesmo blog refere que foram precisos “46 minutos” para tudo ficar resolvido.

A Amazon e o eBay foram dois dos sites que também estiveram em baixo. De acordo com o site Downdetector, que mede os problemas que há nas páginas na internet, o Twitter também esteve com problemas. Este serviço aponta também que a causa deste apagão está relacionada com os serviços da Fastly, que é utilizado por todas as plataformas com falhas mencionadas neste artigo.