Foi há sensivelmente um mês que a japonesa Konami, empresa relacionada com videojogos, brinquedos, anime e outras formas de entretenimento, anunciou o jogador francês Antoine Griezmann como embaixador da marca. Agora, devido à polémica em redor do jogador devido a um conteúdo alegadamente racista, a Konami cancelou o contrato.

Griezmann ia, inclusivamente, ter uma carta colecionável inspirada em si na famosa franquia Yu-Gi-Oh!. Tal não irá acontecer, com a empresa a explicar o sucedido em comunicado: “A Konami Digital Entertainmente acredita, como é também a filosofia do desporto, que qualquer tipo de discriminação é inaceitável. Anunciámos Antoine Griezmann como nosso embaixador de conteúdos Yu-Hi-Oh!. À luz dos acontecimentos recentes, decidimos cancelar o contrato”.

Griezmann e Dembélé acusados de racismo. Patrocinador do Barcelona quer explicações

Mas não acaba aqui, e o próprio Barcelona pode sair também prejudicado, visto ter um acordo com a Konami, empresa responsável por um famoso videojogo de futebol. “Relativamente à nossa franquia eFootball PES, pediremos ao Barcelona, como clube parceiro, que explique os detalhes do caso e as suas ações futuras”, refere a marca.

Também a própria Rakuten, principal patrocinador do Barcelona, através do seu presidente, pediu explicações sobre a situação que, além de Griezmann, envolve ainda o compatriota e colega de equipa Ousmane Dembelé. Ambos estiveram no Euro 2020, embora Dembélé tenha abandonado mais cedo devido a lesão.

PUB • CONTINUE A LER A SEGUIR

Nos últimos dias tornou-se viral um vídeo gravado por Dembélé e em que Griezmann também aparece, em que são feitos comentários depreciativos para com funcionários de um hotel japonês. O vídeo é relativo a uma digressão do Barcelona ao país asiático em 2019.

E por falar em Rakuten, é legítimo questionar qual o futuro da parceria do clube catalão com o gigante da internet, até devido às declarações do presidente da empresa, Hiroshi Mikitani.

“Como patrocinador do clube e organizador da digressão, lamento muito que os jogadores do Barcelona tenham feito comentários discriminatórios. Com a Rakuten a defender a filosofia do Barcelona e a patrocinar o clube, tais declarações são inaceitáveis sob quaisquer circunstâncias e serão protestadas formalmente junto do clube vincando os dois pontos de vista”, escreveu Mikitani nas redes sociais, segundo o As.

O acordo entre ambos foi assinado em 2017, terminava no fim de junho passado, e compreendia o pagamento de cerca de 55 milhões de euros por época aos blaugranas. O contrato previa a extensão de um ano, que foi acionada pelo clube. Segundo o Mundo Deportivo, devido ao contexto económico e social, a renovação foi feita por valores mais baixos do que nos primeiros quatro anos.