Obrigado por ser nosso assinante. Usufrua de leitura ilimitada deste e de todos os artigos do Observador.

A Opel, que prometeu tornar-se um construtor 100% eléctrico em 2028, confirmou agora o que já se esperava: o novo Astra, construído sobre a plataforma da Stellantis EMP2, que outros modelos da antiga PSA também utilizam, vai passar a oferecer igualmente uma versão 100% eléctrica. O fabricante alemão junta assim um dos seus modelos mais importantes para o mercado europeu, o Astra, aos já conhecidos eléctricos da Opel, o Corsa-e e o Mokka-e, além dos comerciais Combo-e, Vivaro-e e Movano-e.

2 fotos

Inicialmente, quando foi relevado em Julho deste ano, o Astra deveria contar apenas com motores a gasolina, gasóleo e híbridos plug-in, um pouco à semelhança do que já acontece com o Grandland. Na altura, não foi mencionada uma mecânica 100% eléctrica, mas tudo indica que os técnicos conseguiram encaixar um pack de baterias com a dimensão necessária.

Novo Opel Astra muda radicalmente e traz dois motores híbridos plug-in

O novo CEO da Opel, Uwe Hochgeschurtz, salientou que a marca oferece no Astra, pela primeira vez, as versões 100% eléctrica e híbrida plug-in, isto apesar de ainda não contar com um único modelo com plataforma específica para veículos eléctricos, para maximizar as vantagens desta tecnologia.

O Opel Astra vai ser proposto com motor 1.2 a gasolina com três cilindros, com 110 e 130 cv, a que se junta o 1.5 turbodiesel, com 130 cv. A versão híbrida do Astra recorre apenas a um motor eléctrico, com uma potência combinada de 180 ou 225 cv e a possibilidade de percorrer 56 km em modo eléctrico, fruto da bateria com uma capacidade total de 12,4 kWh.

As entregas das primeiras unidades do Astra, com motores de combustão e PHEV, arrancarão no início de 2022, mas o Astra-e, o eléctrico da gama, só surgirá no mercado em 2023. Veja aqui a apresentação internacional do modelo.