Tem acesso livre a todos os artigos do Observador por ser nosso assinante.

Tiago Brandão Rodrigues, Marta Temido, Pedro Nuno Santos, Alexandra Leitão. Estes são os nomes de alguns dos ministros que em 2019 foram cabeças de lista pelo PS nas legislativas e que António Costa vai manter no mesmo lugar nestas eleições antecipadas. As votações das comissões políticas distritais do partido acontecem até sexta-feira e já são alguns os nomes conhecidos — alguns deles apostas novas (não só vindos do Governo) — para encabeçar as listas de candidatos do PS à Assembleia da República.

O ministro da Educação é desde 2015 o cabeça de lista por Viana do Castelo e voltará a ser o nome apontado pelo líder do PS para encabeçar a lista de candidatos a deputado pelo distrito, segundo apurou o Observador. Embora tenha sido eleito deputado, Tiago Brandão Rodrigues pouco passou pelo Parlamento uma vez que integrou logo o Governo em 2015 como ministro da Educação, cargo em que se mantém desde então.

Também a ministra Marta Temido vai repetir-se como cabeça de lista (já tinha sido em 2019) em Coimbra. A ministra da Saúde é considerada “um ativo eleitoral” de que Costa não pode prescindir nesta altura, refere um socialista, já que tem sido um dos rostos da gestão da pandemia. Temido é desde o último congresso militante do partido. Outro governante escolhido para liderar listas dos distritos é o secretário de Estado do Planeamento, Ricardo Pinheiro, que será cabeça de lista por Portalegre, substituindo Luís Testa nesse lugar.

Ana Abrunhosa, ministra da Coesão Territorial, será a aposta de António Costa para Castelo Branco, em vez de Hortense Martins, que foi candidata pelo PS no topo daquela lista tanto em 2015 como em 2019, altura em que era a presidente da federação local.

PUB • CONTINUE A LER A SEGUIR

Certo é também o nome de Pedro Nuno Santos, ministro das Infraestruturas, no topo da lista de candidatos socialistas por Aveiro. E tudo aponta ainda que Alexandra Leitão, ministra da Modernização do Estado, volte a liderar os candidatos do PS por Santarém. O mesmo para Ana Mendes Godinho que, em 2019, Costa já tinha apresentado como cabeça de lista pela Guarda. Nomes que António Costa tinha chamado para a direção do partido em 2018 e que manteve na composição eleita no último mês de outubro, depois do congresso do PS de Portimão.

Secretário-geral adjunto avança por Braga

Fora do leque de atuais governantes está a aposta para o distrito de Braga, onde a lista vai ser liderada pelo secretário-geral adjunto José Luís Carneiro — a votação da comissão política distrital será na sexta-feira à noite. No Porto volta a avançar o independente Alexandre Quintanilha, que desde 2015 é a aposta eleitoral de António Costa como primeiro lugar daquela lista de candidatos.

Há alguns nomes que constavam nas listas de 2019 que manifestaram vontade de sair, como o de Luís Capoulas Santos, por Évora, e Jorge Gomes, presidente da distrital socialista de Bragança, mas estes são distritos ainda por fechar. Aliás, as votações das listas do PS ainda têm de ir a votos nas comisões políticas distritais — que acontecem maioritariamente entre esta quarta e sexta-feira –, sendo os cabeças de lista uma escolha do secretário-geral do partido que já indicou os seus escolhidos a algumas estruturas locais.

Um dos nomes já confirmado e até votado foi o de Francisco César que será o número um da lista de candidatos a deputados do PS pelo círculo eleitoral dos Açores.

PS/Açores escolhe Francisco César como cabeça-de-lista às legislativas